Comentário da manhã

Comentário da manhã – 19/11/19 (11h01min) SOJA – Mercado opera em alta de 3 a 5 cents nesta manhã de terça-feira, a U$ 9,14/janeiro.

O pregão anterior fechou em baixa de 8 cents.

A colheita de soja nos EUA teve bom progresso nesta última semana e chega a 91%, percentual igual ao da mesma data no ano anterior; a média histórica é de 95%.

Dados do USDA.

Analistas enxergam a guerra comercial com pessimismo, após pronunciamento de Trump dizendo que não removeria as tarifas, conforme proposta feita pelos chineses.

Aparentemente, as negociações emperraram sem perspectiva de acerto no curto prazo.

Com muito mais questões em jogo – muito além de pendências puramente comerciais – o governo dos EUA quer usar as tarifas como elementos de barganha.

Mas uma coisa é certa, com as negociações emperradas e até retrocedendo, a tendência é que o Brasil se torne novamente o alvo preferido pelos chineses para a compra da oleaginosa.

Por outro lado, o avanço da peste suína africana continua limitando a demanda global.

Com pouca chuva em diversas regiões do Brasil, inclusive com necessidade de replantio em muitas áreas, já se discute a extensão que estaria sendo comprometida e que implicações negativas já teria sobre a produção final.

O cenário à frente também se apresenta pouco otimista em termos de pluviosidade.

Indicações de compras no Oeste do estado na faixa entre R$ 85,00/86,00, dependendo de local de embarque e de prazo de pagamento.

Em Paranaguá, na faixa entre R$ 90,50/91,50.

MILHO – Opera com leves ganhos nesta terça-feira, a U$ 3,69/dezembro.

Ontem o pregão fechou com queda de 3,5 cents.

A colheita de milho norte-americano atinge 76%, ante 89% da mesma época do ano anterior e 92% de média histórica.

As inspeções de embarque de milho norte-americano referentes à semana anterior ficaram em 0,64MT, abaixo da mesma semana de 2018, em que foram de 0,85MT.

Desde o início da temporada em 1º setembro, o governo já inspecionou o embarque de 4,98MT, menos da metade das 12MT do mesmo período do ano passado – de acordo com o USDA.

No mercado doméstico, os preços seguem firmes.

As exportações se mantêm aceleradas e devem superar os 41MT – um novo recorde histórico.

As dúvidas climáticas e o atraso na implantação das lavouras de verão também se mostram como fatores positivos e mantêm os produtores na defensiva.

Indicações de compra, no oeste do estado, entre R$ 38,50/39,50 – dependendo de prazos e de localização.

Porto mantém indicações entre R$ 40,50/41,00 por saca.

(AS INDICAÇÕES DE PREÇO, TANTO PARA SOJA QUANTO PARA MILHO, SÃO UMA IDEIA GENÉRICA DE PREÇOS PARA O OESTE DO ESTADO E, EVENTUALMENTE, PARA O PORTO DE PARANAGUÁ.

PARA INDICAÇÕES MAIS PRECISAS É NECESSÁRIO SUBMETER O LOTE EM QUESTÃO NUMA PROPOSIÇÃO FIRME DE VENDA PARA O MERCADO – PARA ISTO, LIGUE PARA GRANOESTE: (45) 3220-8383).

DÓLAR – Opera em leve baixa neste momento, na faixa de R$ 4,20; mas chegou a bater em R$ 4,22 nesta manhã, no ponto mais alto desde a criação do Real.

Ontem fechou em R$4,207.

(GRANOESTE CORRETORA – Camilo/Stephan).