Comentário da manhã

Comentário da manhã – 22/11/19 (10h46min) SOJA – CBOT opera em leve queda de 1 a 2 cents nesta manhã de sexta-feira, a U$ 8,99/janeiro.

O pregão de ontem foi encerrado com queda de 4 cents/bu.

Na semana as perdas chegam a 2%.

Mercado segue focado na disputa comercial entre China e EUA, peste suína africana, colheita norte-americana e o desenvolvimento da safra sul-americana.

As vendas de soja norte-americana, na última semana, totalizaram 1,51MT; na temporada, somam 23,7MT, ante 22,56MT do ciclo anterior.

Os embarques semanais ficaram em 1,7MT e na temporada, alcançam 12,36MT, contra 10,8MT da estação passada.

Os dados são do USDA.

A febre suína africana atinge novas regiões da Europa e da Ásia e se mostra com vigor para continuar se expandindo.

De acordo com analistas do Rabobank, estima-se que 25% do rebanho mundial de suínos (cerca de 350 milhões de cabeças) podem ser dizimadas até o final do ano.

Há um esforço de cientistas de vários países para tentar achar uma vacina para conter o vírus, mas ainda há um longo caminho pela frente até que se encontre a cura para este mal.

Em razão da redução da produção doméstica, a China segue aumentando as importações de carnes de diversos países.

Esta demanda adicional está gerando alta significativa dos preços, notadamente da carne bovina e de aves.

Grande parte dos consumidores chineses, por medo da doença (que não é nociva aos humanos) acabam optando por outras opções, em detrimento da carne suína.

O plantio de soja na Argentina chega a 31%.

A área deve chegar a 17,1MH, 1,2% a mais do que a área cultivada no ano passado, quando a colheita atingiu 55,3MT.

As informações são da Bolsa de Buenos Aires e do ministério da Agricultura.

Indicações de compra no oeste do estado entre R$ 84,50/85,50 – dependendo de prazo e de local.

Em Paranaguá, na faixa entre R$ 90,50/91,00.

MILHO – CBOT opera levemente em baixa nesta manhã de sexta-feira, a U$ 3,67/dezembro.

Ontem o pregão fechou com alta de 1,75 cents.

Na semana as perdas chegam a 1%.

As vendas norte-americanas de milho, na última semana, ficaram em 0,7MT.

Na temporada, iniciada em 1º de setembro, as vendas alcançam 13,26MT, contra 24,3MT do mesmo intervalo do ciclo 2018/19.

Os embarques na semana ficaram em 0,6MT.

Na temporada são 5,2MT de milho já embarcadas, contra 12,5 do mesmo período da estação passada.

O plantio de milho na Argentina chega a 46% até esta última semana.

A área deverá chegar a 9MH, número similar ao do ano passado, quando a colheita atingiu 55MT.

Os dados são da Bolsa de Buenos Aires e do Ministério da Agricultura.

De acordo com a Conab, O Brasil deverá exportar 39MT de milho nesta temporada, iniciada em 1º de fevereiro.

O mercado já especula em algo entre 41MT e 42MT.

Até 15 de Novembro, Brasil embarcou 34,1MT, segundo dados da SECEX.

Indicações de compra, no oeste do estado, entre R$ 39,50/40,00 – dependendo de prazos e de localização.

Porto mantém indicações entre R$ 40,50/41,00 por saca.

(AS INDICAÇÕES DE PREÇO, TANTO PARA SOJA QUANTO PARA MILHO, SÃO UMA IDEIA GENÉRICA DE PREÇOS PARA O OESTE DO ESTADO E, EVENTUALMENTE, PARA O PORTO DE PARANAGUÁ.

PARA INDICAÇÕES MAIS PRECISAS É NECESSÁRIO SUBMETER O LOTE EM QUESTÃO NUMA PROPOSIÇÃO FIRME DE VENDA PARA O MERCADO – PARA ISTO, LIGUE PARA GRANOESTE: (45) 3220-8383).

DÓLAR – Opera praticamente estável, na faixa de R$ 4,19 – (GRANOESTE CORRETORA – Camilo/Stephan).