Comentário da manhã

Comentário da manhã – 27/11/19 (09h05min) SOJA – CBOT opera em leve alta de 2 a 3 cents nesta manhã de quarta-feira, a U$ 8,87/janeiro.

O pregão de ontem foi encerrado com queda de 8 cents/bu, no menor nível em dois meses.

Depois de 5 sessões seguidas de queda, a bolsa busca certa recuperação com base ainda na perspectiva das negociações comerciais entre China e EUA e em compras por partes de fundos.

Enquanto as negociações não avançam e se esgotam as cotas de soja norte-americana sem taxa de importação, os chineses seguem comprando de forma mais agressiva no Brasil.

O fato de a moeda brasileira cair a níveis nominais históricos também ajudou a pressionar a CBOT ao tornar o produto brasileiro mais competitivo.

Amanhã, 28 de novembro, será feriado nos EUA – Thanks Giving – Dia de Ação de Graças.

O mercado retomará as atividades, apenas parcialmente, na sexta-feira, pois muitos prolongam o feriado e o pregão terá horário mais curto.

A colheita norte-americana de soja chega a 94%, mesmo índice do ano passado.

A média histórica para esta época do ano é de 97%.

O levantamento é do USDA e foi divulgado nesta segunda-feira.

As expectativas sobre a produção de carnes na China indicam melhora.

O alojamento de suínos de corte e de matrizes teve ligeiro aumento em outubro, depois de 18 meses de queda e perda de 40% do rebanho do país.

Analistas esperam que, ao final de 2020, a produção esteja em torno de 80% do nível anterior à crise.

A importação de soja, que está em 83/84MT neste ano, deve subir para 94MT no próximo ano se as expectativas positivas se confirmarem.

O novo governo da Argentina deverá aumentar a tributação sobre exportação de produtos agrícolas, as chamadas “retenciones”.

As exportações brasileiras de soja seguem firmes e podem atingir 3,5MT a 3,6MT em novembro – numa demonstração de que os chineses voltaram ao mercado brasileiro na medida em que as cotas isentas da soja dos EUA estão terminando – e um acordo não chega.

O plantio da safra brasileira atingiu 75,7%, ante 89% da mesma data do ano passado e 79% de média.

No Paraná chega a 97%, contra 98% do mesmo período do ano anterior e 93% de média.

Os dados são da consultoria Safras &Mercado.

Devido à alta expressiva do câmbio, que acabou neutralizando as perdas na CBOT e nos prêmios, os preços internos no Brasil seguiram em linha.

Indicações de compra no oeste do estado entre R$ 85,50/86,50 – dependendo de prazo e de local.

Em Paranaguá, na faixa entre R$ 90,50/91,50.

MILHO – CBOT opera levemente em alta nesta manhã de quarta-feira, a U$ 3,69/dezembro.

Ontem, pregão fechou com baixa de 3 cents.

A colheita da safra dos EUA chega a 84%, ainda com atraso sobre os 93% da mesma época do ano passado.

O índice médio histórico é de 96% – informa o USDA.

O plantio de milho verão no Brasil chegou a 84%, ante 92,4% da mesma época do ano anterior.

Em termos de Paraná, o plantio já está finalizado.

Com informações de Safras & Mercados.

As exportações brasileiras de milho devem sofrer forte queda em novembro, devendo ficar em torno de 3,3 a 3,5MT, contra 6 a 7MT mensais no período que vai de julho a outubro.

Isso se deve às expressivas altas do preço no mercado interno – que ficaram, em geral, acima da paridade internacional.

O clima apresenta melhora nas mais diversas regiões do país, mas existem ainda muitas irregularidades, num ano considerado altamente atípico (que pode ter pela frente muitas variações).

Indicações de compra, no oeste do estado, entre R$ 40,00/41,00 – dependendo de prazos e de localização.

Porto mantém indicações entre R$ 41,00/43,00 por saca.

(AS INDICAÇÕES DE PREÇO, TANTO PARA SOJA QUANTO PARA MILHO, SÃO UMA IDEIA GENÉRICA DE PREÇOS PARA O OESTE DO ESTADO E, EVENTUALMENTE, PARA O PORTO DE PARANAGUÁ.

PARA INDICAÇÕES MAIS PRECISAS É NECESSÁRIO SUBMETER O LOTE EM QUESTÃO NUMA PROPOSIÇÃO FIRME DE VENDA PARA O MERCADO – PARA ISTO, LIGUE PARA GRANOESTE: (45) 3220-8383).

DÓLAR – Opera em baixa no início das negociações, na faixa de R$ 4,23.

Ontem a cotação atingiu um novo recorde nominal histórico, fechando em R$ 4,241, tendo apresentado picos acima de R$ 4,27.

A declaração do ministro da Economia afirmando que “o Brasil deve se acostumar com uma taxa de câmbio mais alta e juros mais baixos” foi o estopim para a disparada do câmbio.

(GRANOESTE CORRETORA – Camilo/Stephan).