Comentário da manhã

Comentário da manhã – 02/12/19 (12h21min) SOJA – CBOT opera estável de segunda, a U$ 8,76/janeiro.

O pregão de sexta-feira, mais curto, devido ao feriado do Dia de Ação de Graças, fechou com queda de 5 cents – sétimo pregão no campo negativo.

Em novembro as perdas foram superiores a 4%.

Mercado volta a olhar com atenção a guerra comercial entre EUA e China que, agora, tem mais uma variável: Hong Kong.

Na semana passada, o presidente Trump se manifestou a favor das manifestações em Hong Kong, o que despertou a ira dos chineses – que consideram uma interferência indevida do governo norte-americano em assuntos domésticos.

As vendas de soja norte-americana na última semana ficaram em 1,66MT, 14% a mais do que a semana anterior.

A China foi a maior compradora, com 0,83MT, seguido de Alemanha, Indonésia, Taiwan e Egito.

Na temporada, o volume chega a 25,3MT, ante 23,1MT do mesmo período do ano passado.

Prêmios mais firmes nos portos brasileiros, bem como a desvalorização do Real, atuaram como amortecedores dos dois fatores mais adversos observados desde o ano passado: a persistência da guerra comercial e o avanço da peste suína africana.

A tarifação de produtos agrícolas norte-americanos – como retaliação pelo aumento de tarifas de produtos chineses por parte dos EUA – colocou definitivamente a soja sul-americana no mercado – mercado cujo tamanho foi reduzido pelo alastramento de epidemias.

O clima, em geral, apresenta melhora no Brasil e isto funciona como limitante da evolução dos preços.

Indicações de compra no oeste do estado na faixa de R$ 84,50/85,00 – dependendo de prazo e de local.

Em Paranaguá, na faixa entre R$ 89,50/90,50.

MILHO – CBOT opera ligeiramente em alta nesta manhã de segunda-feira, a U$ 3,72/dezembro.

Sexta-feira, pregão fechou com alta de 8 cents.

As vendas semanais de milho norte-americano foram reportadas em 0,8MT nesta última semana.

Na temporada as vendas chegam a 14,1MT, contra 25,6MT do mesmo intervalo do ano anterior.

Os principais compradores foram a Colômbia, Costa Rica e México.

Os embarques também seguem lentos, com 5,8MT até aqui neste ciclo, contra 13,6MT do mesmo período da estação passada.

O mercado de milho no Brasil continua bastante travado; porém, com preços firmes.

O volume ofertado é restrito.

Dezembro será um mês decisivo para a safra 2019/20.

Os produtores que ainda contam com estoques remanescentes, acompanham de perto o andamento do clima antes de tomar uma decisão sobre venda.

O atraso do plantio de verão também tem implicações sobre as perspectivas da safrinha.

Indicações de compra, no oeste do estado, entre R$ 40,00/41,00 – dependendo de prazos e de localização.

Porto mantém indicações entre R$ 41,00/43,00 por saca.

(AS INDICAÇÕES DE PREÇO, TANTO PARA SOJA QUANTO PARA MILHO, SÃO UMA IDEIA GENÉRICA DE PREÇOS PARA O OESTE DO ESTADO E, EVENTUALMENTE, PARA O PORTO DE PARANAGUÁ.

PARA INDICAÇÕES MAIS PRECISAS É NECESSÁRIO SUBMETER O LOTE EM QUESTÃO NUMA PROPOSIÇÃO FIRME DE VENDA PARA O MERCADO – PARA ISTO, LIGUE PARA GRANOESTE: (45) 3220-8383).

DÓLAR – Opera em queda neste momento, a R$4,23.

Fechamento anterior ficou em R$ 4,241.

(GRANOESTE CORRETORA – Camilo/Stephan).