Comentário da manhã

Comentário da manhã – 03/12/19 (11h22min) SOJA – CBOT opera em leve alta nesta terça-feira, a U$ 8,72/janeiro – depois de 8 pregões consecutivos de queda, muito por causa da piora nas relações comerciais entre EUA e China.

Além disto, vem pesando o bom andamento da colheita da safra norte-americana (com as perdas já computadas) e a melhora do clima nas regiões produtoras da América do Sul.

Apesar dos ganhos de hoje, os preços na CBOT são os menores dos últimos três meses.

Os preços no Brasil são sustentados basicamente por câmbio e prêmios.

Os pequenos ganhos verificados hoje são mais técnicos do que fundamentais.

Por esta razão, neste momento, analistas não veem motivos para imaginar uma reversão do quadro.

A demanda chinesa por soja norte-americana caiu drasticamente, e não somente por causa da guerra comercial, mas, principalmente, pela persistência da peste suína africana.

Esta doença está desafiando os cientistas, que não conseguem descobrir uma cura.

A China pediu ajuda a uma renomada equipe de cientistas canadenses para trabalhar no desenvolvimento de uma vacina; mas, até o momento, nenhuma perspectiva está clara.

Até o final do ano que vem, a China tem planos de voltar a alojar um volume de suínos pelo menos em 80% do que era antes da ocorrência desta epidemia.

Por esta razão, todos os esforços estão sendo feitos.

O plantio da safra brasileira de soja chega a 87%, em linha com a média histórica, informou a AgRural em relatório divulgado no final da semana passada.

Na mesma época do ano anterior, o índice de plantio era de 93%.

A produção está estimada em 120,7MT numa área de 36,4MH.

As exportações brasileiras de soja somaram, em novembro, 5,16MT – um novo recorde para o mês.

No acumulado desta temporada, os embarques chegam a 72,3MT, ante 78,1MT do mesmo período do ano passado.

Os dados são da Secex.

Indicações de compra no oeste do estado na faixa de R$ 83,50/84,50 – dependendo de prazo e de local.

Em Paranaguá, na faixa entre R$ 89,00/90,00.

MILHO – CBOT opera ligeiramente em leve queda nesta manhã de terça-feira, a U$ 3,72/dezembro.

Ontem, pregão fechou com alta de 2 cents.

As exportações brasileiras de milho somaram 4,29MT durante novembro, elevando o total desta estação para 36,3MT, ante 16,9MT do mesmo intervalo do ciclo anterior.

As informações são da Secex.

O mercado de milho no Brasil continua bastante travado; porém, com preços firmes.

O volume ofertado é restrito.

Dezembro será um mês decisivo para a evolução da safra 2019/20.

Os produtores que ainda contam com estoques remanescentes, acompanham de perto o andamento do clima antes de tomar uma decisão sobre venda.

O atraso do plantio de verão, bem como as dúvidas climáticas, também terá implicações sobre as perspectivas de produção e de preço para a safrinha.

Indicações de compra, no oeste do estado, entre R$ 40,00/41,00 – dependendo de prazos e de localização.

Porto mantém indicações entre R$ 41,00/43,00 por saca.

(AS INDICAÇÕES DE PREÇO, TANTO PARA SOJA QUANTO PARA MILHO, SÃO UMA IDEIA GENÉRICA DE PREÇOS PARA O OESTE DO ESTADO E, EVENTUALMENTE, PARA O PORTO DE PARANAGUÁ.

PARA INDICAÇÕES MAIS PRECISAS É NECESSÁRIO SUBMETER O LOTE EM QUESTÃO NUMA PROPOSIÇÃO FIRME DE VENDA PARA O MERCADO – PARA ISTO, LIGUE PARA GRANOESTE: (45) 3220-8383).

DÓLAR – Opera em queda neste momento, a R$4,21.

Ontem fechou em R$ 4,22.

(GRANOESTE CORRETORA – Camilo/Stephan).