Comentário da manhã

Comentário da manhã – 09/12/19 (10h58min) SOJA – CBOT opera em alta de 7 a 8 cents nesta segunda-feira, a U$ 8,98/janeiro – sendo a quinta sessão consecutiva de alta.

O mercado segue otimista na esperança de que algum acordo seja assinado entre China e EUA.

Na sexta-feira, pregão fechou com 5 cents de alta.

Amanhã será divulgado o relatório mensal de oferta e demanda global (WASDE) referente a dezembro.

A expectativa é de alguma redução nos estoques norte-americanos e mundiais.

A produção e exportação dos EUA não devem ter maiores alterações.

Em razão do conservadorismo do USDA, a previsão para a produção de Brasil e Argentina devem permanecer inalteradas – em 123MT e em 53MT; mas as irregularidades climáticas começam a ter papel decisivo nas perspectivas de colheita.

Na China, com o auxílio do subsídio do governo, a produção de soja aumentou em 13% em relação à temporada anterior, para cerca de 18MT.

A China está aplicando um programa para redução do plantio de milho e aumento da área de soja nos próximos anos.

Desde os primeiros acertos entre China e EUA – nas conversões realizadas em Buenos Aires há 12 meses atrás – empresas chinesas já compraram algo entre 26 a 27MT de soja norte-americana através de uma série de pacotes que isentaram as tarifas de importação.

Entre janeiro e novembro, as importações totais da China chegaram a 79MT, queda de 4% comparativamente ao mesmo período do ciclo anterior.

Em novembro, porém, as importações somaram 8,3MT, alta de 54% sobre novembro do ano passado.

Os dados são da administração alfandegária do país.

A China continua sua corrida para chegar a um acordo – pelo menos da fase I – até o dia 15 deste mês – a fim de evitar a entrada em vigor de novas tarifas de seus produtos pelos EUA.

Enquanto isso, Trump disse para o mercado ficar atento com fake news, uma vez que as conversações entre as duas maiores economias do mundo estão acontecendo nos bastidores.

O plantio de soja no Brasil chega a 90,8%.

No mesmo período no ano passado, o plantio era de 97% e, na média para esta época do ano, de 93%.

No Paraná o plantio atinge 99% (100% ano passado; 98,6% média); no Mato Grosso, 99% (100% ano passado; 99,4% de média) e no Rio Grande do Sul, 84% (92% ano passado; 84,8% média).

Os dados são da consultoria Safras & Mercado.

A queda acentuada do câmbio está compensando negativamente as indicações de compra da soja no mercado interno – num movimento inverso ao que vinha ocorrendo nas últimas semanas, quando o câmbio subia e a CBOT perdia valor.

Indicações de compra no oeste do estado na faixa de R$ 83,50/84,50 – dependendo de prazo e de local.

Em Paranaguá, na faixa entre R$ 88,50/89,50.

MILHO – CBOT opera ligeiramente em baixa nesta manhã de segunda-feira, a U$3,67/dezembro.

O último pregão fechou entre estável e um cent de alta.

O relatório de oferta e demanda (WASDE), a ser divulgado amanhã, é aguardado sem maiores alterações – mas com alguma redução nos estoques finais, tantos dos EUA quanto do mundo.

Apesar dos sérios problemas, os EUA devem apresentar uma safra de milho com quebra menos traumática do que a da soja.

Os trabalhos de campo ainda não estão finalizados.

De qualquer maneira, este relatório de dezembro trará um panorama mais preciso do tamanho da safra.

Indicações de compra, no oeste do estado, entre R$ 41,50/43,00 – dependendo de prazos e de localização.

Porto mantém com indicações entre R$ 41,50/43,00 por saca.

(AS INDICAÇÕES DE PREÇO, TANTO PARA SOJA QUANTO PARA MILHO, SÃO UMA IDEIA GENÉRICA DE PREÇOS PARA O OESTE DO ESTADO E, EVENTUALMENTE, PARA O PORTO DE PARANAGUÁ.

PARA INDICAÇÕES MAIS PRECISAS É NECESSÁRIO SUBMETER O LOTE EM QUESTÃO NUMA PROPOSIÇÃO FIRME DE VENDA PARA O MERCADO – PARA ISTO, LIGUE PARA GRANOESTE: (45) 3220-8383).

DÓLAR – Opera em alta neste momento, próximo a R$4,16.

Na sexta-feira fechou em forte queda, a R$ 4,146.

(GRANOESTE CORRETORA – Camilo