Comentário da manhã

Comentário da manhã – 14/01/2020 (09h03min) SOJA – CBOT opera estável nesta manhã de terça-feira, a U$ 9,41/março.

Ontem houve perdas de 3 cents, numa sequência de pregões fracos e de baixa movimentação neste início de ano.

As atenções estão voltadas para a assinatura do acordo comercial entre EUA e China (Fase 1) nesta quarta-feira, quando deverão emergir mais detalhes do comprometimento chinês com compras de produtos agropecuários dos EUA.

O governo Trump pressiona para que os valores cheguem a, no mínimo U$ 40 bilhões – lembrando que os recordes anteriores não passaram de U$ 26 bilhões, sendo que no ano passado, no auge da crise, as importações chinesas deste setor não chegaram a U$ 20 bilhões.

O Brasil está no meio deste fogo cruzado: mais negócios com os norte-americanos representa queda de vendas dos produtos brasileiros para os chineses.

O USDA informou ter inspecionado o embarque de 1,14MT de soja na última semana, elevando o total da temporada para 23,0MT, ante 19,5MT do mesmo intervalo do ciclo passado.

O forte ritmo dos embarques dos EUA, mesmo num ano de baixa produção, se deve ao retorno da China às compras naquela praça.

No mercado doméstico, as cotações vêm se mantendo de estáveis a ligeiramente mais firmes, postadas na alta do câmbio.

As primeiras colheitas, ainda que esparsas e de baixo volume, começam a aparecer em diversos estados, notadamente no Mato Grosso e no Paraná.

A Secex informou que as exportações de soja neste início de janeiro somam 0,43MT e, no acumulado desta temporada, que vai até 31 de janeiro, chegam a 76,93MT.

No ciclo passado o Brasil exportou 84,5MT.

Nesta segunda-feira, para lotes disponíveis, houve reportes de negócios na faixa de R$ 84,00 no oeste do estado e de R$ 89,00 em Paranaguá – oscilando marginalmente para mais ou para menos, dependendo de local de embarque e de prazo de pagamento.

MILHO – CBOT opera zerado neste início dos trabalhos desta terça-feira, a U$3,89/março.

Ontem pregão encerrou com 3,75 de alta.

O USDA informou ter inspecionado embarque de 0,46MT de milho na última semana.

Na temporada, os embarques somam 9,1MT, contra 19,5MT do mesmo período do ano passado.

O Brasil exportou, até o momento, em janeiro, 0,67MT de milho.

No acumulado da temporada (que se encerra dia 31 de janeiro), já foram embarcadas 41,3MT.

No ciclo passado, as exportações somaram 25,1MT.

Os dados são da Secex.

De acordo com Safras & Mercado, a produção de milho safrinha 2019 no Brasil foi de 74,43MT e, 87,4% já teria sido comercializado.

Para safra 2019/20, a comercialização chega a 12,8%.

Além do bom ritmo das exportações, o Brasil vê o consumo interno em forte alta.

Isto se dá em duas frentes: consumo para produção de carnes e uso para a produção de bioenergia.

Indicações de compra, no oeste do estado, entre R$ 44,00/45,00 – dependendo de prazos e de localização.

Porto, com indicações entre R$ 42,00/43,00 por saca.

(AS INDICAÇÕES DE PREÇO, TANTO PARA SOJA QUANTO PARA MILHO, SÃO UMA IDEIA GENÉRICA DE PREÇOS PARA O OESTE DO ESTADO E, EVENTUALMENTE, PARA O PORTO DE PARANAGUÁ.

PARA INDICAÇÕES MAIS PRECISAS É NECESSÁRIO SUBMETER O LOTE EM QUESTÃO NUMA PROPOSIÇÃO FIRME DE VENDA PARA O MERCADO – PARA ISTO, LIGUE PARA GRANOESTE: (45) 3220-8383).

DÓLAR – Segue em alta nesta manhã, no maior patamar em mais de um mês.

Neste momento se aproxima de R$ 4,15.

(GRANOESTE CORRETORA – Camilo /Stephan).