Comentário da manhã

Comentário da manhã – 16/01/2020 (10h47min) SOJA – CBOT opera em nova baixa nesta manhã de quinta-feira, a U$ 9,25/março.

O momento tão aguardado pelos mercados mundiais aconteceu ontem: a assinatura da fase 1 do acordo comercial entre China e EUA.

Porém, a reação na CBOT foi negativa, fazendo com que o pregão encerrasse com 13,5 pontos de queda.

Em termos agropecuários, a China se compromete a comprar dos EUA, neste ano, U$ 12,5 bilhões a mais do que comprou dos EUA em 2017 (quando havia importado cerca de U$ 27,5 bilhões).

Para 2021, o acordo prevê um adicional de U$ 19,5 bilhões sobre o valor de 2017.

Há alguns fatores para justificar esta queda: primeiramente, o mercado desconfia sobre o cumprimento das metas acordadas; pois, são volumes bastante expressivos.

Contudo, inúmeros itens englobam a porção agropecuária, variando de soja, milho e trigo, até pescados, laticínios, cítricos e carnes, o que pode auxiliar os chineses a diluir este montante numa vasta gama de produtos.

Mesmo assim, o mercado continua cético.

As primeiras avaliações indicam que cerca de 40% do valor seria em soja – o que pode resultar em compras superiores a 40MT neste ano e em mais de 50MT no próximo ano.

Outro fator que pode abalar o mercado é que se, caso a China cumpra fielmente com este compromisso, outros países fornecedores devem ser prejudicados, pois a China poderia recorrer a métodos não comerciais – como cotização de volumes de compras.

Isto pode gerar um grande debate e ir parar na OMC.

Países como Brasil, Argentina, Ucrânia, Rússia, Canadá, dentre outros, tendem a ter suas exportações reduzidas.

Nesta quarta-feira, para lotes disponíveis, houve reportes de negócios na faixa de R$ 83,50 a 84,00 no oeste do estado e de R$ 88,00 a 89,00 em Paranaguá – oscilando marginalmente para mais ou para menos, dependendo de local de embarque e de prazo de pagamento.

As primeiras indicações desta quinta-feira apontam para queda de preço da ordem de R$ 0,50/1,00 por saca.

MILHO – CBOT opera negativo neste início dos trabalhos desta quinta-feira, a U$3,83/março.

Ontem pregão encerrou com 1,5 de baixa.

Com algumas lavouras começando a ser colhidas, começam a aparecer ofertas de milho verão, sobretudo no Rio Grande do Sul (onde as perdas por estiagem podem chegar a mais de 30%) e em Santa Catarina; porém, os volumes ainda são baixos.

Indicações de compra, no oeste do estado, entre R$ 44,50/45,00 – dependendo de prazos e de localização.

Porto, com indicações entre R$ 42,00/43,00 por saca.

(AS INDICAÇÕES DE PREÇO, TANTO PARA SOJA QUANTO PARA MILHO, SÃO UMA IDEIA GENÉRICA DE PREÇOS PARA O OESTE DO ESTADO E, EVENTUALMENTE, PARA O PORTO DE PARANAGUÁ.

PARA INDICAÇÕES MAIS PRECISAS É NECESSÁRIO SUBMETER O LOTE EM QUESTÃO NUMA PROPOSIÇÃO FIRME DE VENDA PARA O MERCADO – PARA ISTO, LIGUE PARA GRANOESTE: (45) 3220-8383).

DÓLAR – Depois da forte alta de ontem, de mais de 1,3%, opera em ligeira baixa nesta manhã – neste momento cotado próximo de R$ 4,17.

(GRANOESTE CORRETORA – Camilo /Stephan).