Comentário da manhã

Comentário da manhã – 21/01/2020 (10h57min) SOJA – CBOT opera em baixa de 6 a 7 cents nesta manhã de terça-feira, a U$ 9,23/março.

Ontem foi feriado nos EUA e, portanto, não houve pregão.

O mercado segue cético em relação ao acordo comercial – se, de fato, a China cumprirá com os valores estipulados.

Analistas entendem que a soja, a commodity que está no centro das discussões, será o produto mais controverso deste acordo.

A China teve drástica redução no consumo devido à ocorrência da febre suína africana.

Além disso, Brasil e Argentina são outros grandes fornecedores e irão lutar para manter suas participações.

Por outro lado, o que preocupa os produtores norte-americanos é que a cifra destinada a produtos agrícolas pode ser preenchida com inúmeras outras commodities.

Acredita-se que o mercado ganhará folego quando a China realizar compras em grandes volumes – ou seja, quando mostrar provas concretas de seu comprometimento.

Quando e se isso ocorrer, os prêmios no Brasil devem ceder.

A China compra entre 60% e 65% da soja negociada no mercado internacional.

Os EUA chegaram atender metade desta participação.

Os mercados também refletem as inquietações com um novo vírus na China, que já matou quatro pessoas.

Os investidores avaliam o impacto econômico deste surto do coronavírus, o que tira o apetite por ativos de risco.

Em levantamento divulgado na última sexta-feira, o IMEA informou que a colheita de soja no Mato Grosso alcançou 5,9%, ante 6,6% de média histórica.

Na mesma época do ano passado, o índice era de 12,3%.

Indicação de preços para Oeste do estado entre R$ 82,50 a 83,50 e, em Paranaguá, entre R$ 87,50 e 88,50 – dependendo de prazos e locais de embarque.

MILHO – CBOT opera em baixa de 3 cents nesta terça-feira, a U$3,86/março.

No Mato Grosso, o plantio da safrinha atinge 0,4%, contra 1,4% da mesma data no ano passado.

O levantamento é do IMEA, que estima a produção no estado em 31,6MT.

A Conab projeta a colheita do Mato Grosso em 30,9MT, ante 31,05MT do ano passado.

A safrinha total do país deverá render 70,9MT, contra 73,2MT do ciclo anterior – prevê a Conab.

No Paraná, a estimativa é de que a safrinha esteja semeada em 1%.

Isto representa um atraso de 2 a 3 semanas em relação ao considerado normal.

Há uma petição do setor produtivo para alongar em 20 dias a janela de plantio, a fim de propiciar o acesso ao seguro.

Indicações de compra, no oeste do estado, entre R$ 45,00/46,00 – dependendo de prazos e de localização.

Porto, com indicações entre R$ 42,00/43,00 por saca.

(AS INDICAÇÕES DE PREÇO, TANTO PARA SOJA QUANTO PARA MILHO, SÃO UMA IDEIA GENÉRICA DE PREÇOS PARA O OESTE DO ESTADO E, EVENTUALMENTE, PARA O PORTO DE PARANAGUÁ.

PARA INDICAÇÕES MAIS PRECISAS É NECESSÁRIO SUBMETER O LOTE EM QUESTÃO NUMA PROPOSIÇÃO FIRME DE VENDA PARA O MERCADO – PARA ISTO, LIGUE PARA GRANOESTE: (45) 3220-8383).

DÓLAR – Opera em ligeira alta, próximo de R$ 4,20.

(GRANOESTE CORRETORA – Camilo /Stephan).