Comentário da manhã

Comentário da manhã – 28/01/2020 (09h35min) SOJA – Soja opera em forte baixa (de 11 cents) nos futuros de Chicago nesta manhã de segunda-feira – opera em U$ 8,90/março.

Ao limitar ainda mais a demanda pelo produto, o surpreendente avanço do coronavírus, sobretudo na China, pressiona os preços.

O mês de janeiro acumula perdas da ordem de 7%.

Agências internacionais informam que pelo menos 80 pessoas já morreram e quase três mil estão contaminadas – ao mesmo tempo em que a doença se espalha por diversos outros países.

Todos os olhos estão voltados para a China.

O avanço da doença ocorre num momento em que o mercado aguarda ansiosamente pelo retorno dos chineses às compras nos EUA.

Nestas circunstâncias, o temor é que haja um recuo ainda mais alongado por parte da China, mesmo diante dos compromissos assumidos com o governo Trump no último dia 15.

A colheita da safra brasileira chega a 4%, ante 4,6% de média histórica – informa a consultoria Safras & Mercado, em levantamento divulgado na última sexta-feira.

Na mesma época do ano passado o índice era de 10,8%.

O Mato Grosso conta com 13% dos trabalhos já finalizados (25% do ano passado e 11,2% de média); Paraná, conta com 4% (17% e 5,3%, respectivamente).

Internamente, o ritmo de negócios entrou em lentidão e os preços se apresentam em queda.

As perdas acumuladas na bolsa norte-americana, somadas com o aumento dos preços do frete, vêm superando a alta do câmbio e pressionando os preços.

Os prêmios seguem sem maiores movimentações, cotados, em Paranaguá, entre 45 e 55 cents acima da CBOT.

As indicações de compra estão na faixa de R$ 80,50 / 81,50 no oeste do estado e, em Paranaguá, entre R$ 85,50/86,50 – dependendo de prazos de pagamento/entrega e, no interior, também do local de embarque.

MILHO – CBOT opera em baixa de 6 cents neste início de segunda-feira, a U$3,80/março.

Na sexta, pregão encerrou com 6 cents de queda.

As perdas acumuladas em janeiro chegam a 2,5%, sobretudo pelos temores com o avanço do coronavírus.

Mercado começa a especular sobre a possibilidade de aumento expressivo na área de plantio de milho nos EUA na temporada 2020/21; mas tudo vai depender do comportamento chinês na compra de soja nos próximos dois meses.

Uma super safra nos EUA limitaria o preço em Chicago e, consequentemente, os preços de exportação do Brasil.

Uma safra cheia no Brasil exigiria exportações de cerca de 30MT.

No mercado doméstico, os preços se mantêm firmes diante da oferta restrita e das perspectivas de atraso no plantio e evolução da segunda safra.

O plantio de milho safrinha no Mato Grosso, segundo IMEA, chega a 9,8%.

Indicações de compra, no oeste do estado, entre R$ 45,50/46,50 – dependendo de prazos e de localização.

Porto, com indicações entre R$ 42,00/43,00 por saca.

(AS INDICAÇÕES DE PREÇO, TANTO PARA SOJA QUANTO PARA MILHO, SÃO UMA IDEIA GENÉRICA DE PREÇOS PARA O OESTE DO ESTADO E, EVENTUALMENTE, PARA O PORTO DE PARANAGUÁ.

PARA INDICAÇÕES MAIS PRECISAS É NECESSÁRIO SUBMETER O LOTE EM QUESTÃO NUMA PROPOSIÇÃO FIRME DE VENDA PARA O MERCADO – PARA ISTO, LIGUE PARA GRANOESTE: (45) 3220-8383).

DÓLAR – Opera em forte alta, cotado próximo de R$ 4,22.

(GRANOESTE CORRETORA – Camilo /Stephan).