Comentário da manhã

Comentário da manhã – 07/11/19 (13h57min) SOJA – Mercado opera em alta de 3 cents/bu nesta quinta-feira, a U$ 9,30/janeiro.

Ontem, pregão fechou com baixa de 6,5 cents/bu.

Mercado oscila no ritmo das informações sobre as alternativas em relação ao acordo entre EUA e China.

Analistas acreditam em algum tipo de acerto.

Tudo indica que será um acordo parcial, chamado de fase 1, como um reinício concreto das negociações.

A própria China divulgou nota dizendo que as partes concordam numa redução gradativa das tarifas, no qual ambas as partes seguiriam o mesmo movimento simultaneamente.

Com o cancelamento do encontro no Chile, ainda não há uma data, nem um local para a assintura.

O mercado também reage ao bom andamento da colheita da safra norte-americana.

Aos poucos, as atenções se voltam para a safra sul-americana, notadamente para o comportamento do clima – que tem sido irregular na maioria das regiões de cultivo.

Nesta sexta-feira será divulgado, pelo USDA, o relatório mensal de oferta e demanda global (WASDE) referente ao mês de novembro.

O mercado aguarda com anseio devido à perspectiva de novos cortes de produtividade e de área colhida nos EUA, tanto de soja quanto de milho – sobretudo nos estados da Dakota do Norte, do Sul e Minnesota.

Isto tem a ver com clima excessivamente úmido das últimas semanas.

Portanto, o mercado espera números ainda menores em relação ao relatório do mês anterior, não só para a produção e produtividade, mas também para área colhida e estoques finais.

Consultorias ouvidas por agências de notícias avaliam que produção norte-americana de soja deve ser estimada em algo como 95,6MT, corte de 1,0MT no comparativo com outubro e 120,5MT da temporada anterior.

A produtividade ficaria em algo como 52,23SC/ha, contra 52,5SC/ha do mês passado e 56,7SC/ha da temporada prévia.

A área colhida deverá se situar em 30,52M/ha, contra 30,68M/ha do mês de outubro e 35,45M/ha da temporada 2018/19.

Com a expressiva alta do câmbio, de mais de 2%, os preços internos foram impulsionados.

De maneira geral, as indicações de compras foram ajustadas entre R$1,00/1,50 p/sc, com propostas de compra no Oeste do estado na faixa entre R$ 83,50/84,50, dependendo de local de embarque e de prazo de pagamento.

Em Paranaguá, na faixa entre R$ 88,50/90,00.

MILHO – Opera em baixa de 5 cents nesta de quinta-feira, a U$ 3,75/dezembro.

Ontem, o pregão fechou com 4 cents negativos.

Em relação ao relatório de oferta e demanda deste mês, mercado aguarda novos cortes na área colhida e também certa redução na produtividade.

Os reflexos vão recair nos números mais visíveis, com cortes na produção total do país, bem como nos estoques finais.

A produção deve se situar em 345,5MT, ante 350,0MT previstas no mês de outubro e 366,29MT do ano anterior.

Em relação à produtividade, são esperadas 175 sc/ha, contra 176,16 sc/ha do mês passado e 184,52 sc/ha da temporada prévia.

A área colhida é estimada em 32,96MH, ante 33,10MH do mês de outubro e 33,07MH de 2018/19.

Já, os estoques são esperados em 45,7MT, ante 49MT previstos no mês anterior.

No mercado doméstico, depois da expressiva alta das últimas semanas, os preços buscaram certa acomodação, com indicações de compra, no oeste do estado, entre R$ 37,50/38,00 – dependendo de prazos e de localização.

Porto mantém indicações entre R$ 40,00/40,50 por saca.

(AS INDICAÇÕES DE PREÇO, TANTO PARA SOJA QUANTO PARA MILHO, SÃO UMA IDEIA GENÉRICA DE PREÇOS PARA O OESTE DO ESTADO E, EVENTUALMENTE, PARA O PORTO DE PARANAGUÁ.

PARA INDICAÇÕES MAIS PRECISAS É NECESSÁRIO SUBMETER O LOTE EM QUESTÃO NUMA PROPOSIÇÃO FIRME DE VENDA PARA O MERCADO – PARA ISTO, LIGUE PARA GRANOESTE: (45) 3220-8383).

DÓLAR – Opera em nova alta, neste momento em R$ 4,10.

Ontem, houve expressiva alta, superior a 2%, fechando em R$ 4,08.

(GRANOESTE CORRETORA – Camilo/Stephan).