Comentário da manhã

Comentário da manhã – 11/11/19 (11h17min) SOJA – Mercado opera em baixa de 5 cents/bu nesta manhã de segunda-feira, a U$ 9,26/janeiro.

O pregão anterior fechou com baixa de 5,5 cents/bu.

O mercado segue pressionado pelos números negativos do relatório de oferta e demanda, divulgado na última sexta-feira, e pelos reveses nas negociações para pôr um fim à guerra comercial.

Os números do relatório mensal de oferta e demanda (WASDE) foram um tanto decepcionante para o mercado.

Analistas esperavam cortes na produção/produtividade da soja dos EUA, devido ao plantio atrasado e clima adverso.

Porém, o USDA manteve a produtividade em 52,57 SC/HA e, consequentemente, a produção não se alterou em relação ao relatório do mês anterior, prevista em 96,62MT.

Os estoques finais norte-americanos também eram esperados em queda, em torno de 11,7MT; o USDA, porém, divulgou 12,92MT, ante 12,52 do mês anterior.

Os estoques finais mundiais ficaram levemente acima, em 95,42MT, contra 95,21MT do relatório de outubro.

A guerra comercial continua com novos capítulos – mostrando-se uma novela interminável.

Enquanto negociadores chineses apostavam que um acordo – chamado de fase 1 – estaria próximo de ser assinado, com a redução gradativa e simultânea das tarifas de ambos os lados, Trump afirma que não há perspectiva de remover as tarifas sobre a importação de produtos chineses.

A fase 1 contempla a remoção das tarifas por ambos países e mais compra de produtos agrícolas norte-americanos por parte dos asiáticos.

O plantio no Brasil chega a 54,7%, informa a consultoria Safras & Mercado em levantamento divulgado na última sexta-feira.

Houve avanço 11 pontos percentuais durante a última semana.

Na mesma época do ano passado, o índice era de 68,8% e, na média histórica, de 55,7%.

No Mato Grosso, trabalhos estão concluídos em 92% da área prevista; No Paraná, em 82%; No Mato Grosso do Sul, em 60% e no Rio Grande do Sul, em 18%.

Com a expressiva alta do câmbio, nos últimos dias os preços internos foram impulsionados; porém, não se trata de uma valorização via preço internacional da soja, mas puramente por oscilações positivas do dólar – o que acaba sendo inflacionário no decorrer do tempo e elevando os custos de produção.

De maneira geral, as indicações de compras foram ajustadas entre R$1,50/a,00 p/sc, com propostas de compra no Oeste do estado na faixa entre R$ 84,50/85,50, dependendo de local de embarque e de prazo de pagamento.

Em Paranaguá, na faixa entre R$ 90,00/91,00.

MILHO – Opera em baixa de 3 cents nesta de segunda-feira, a U$ 3,74/dezembro.

Sexta-feira, o pregão fechou com alta de 2 cents.

No relatório de oferta e demanda de novembro, USDA publicou que a produtividade do milho norte-americano cai para 174,70 SC/HA, abaixo do relatório de outubro, que estava em 176,16 SC/HA, e 184,53 SC/HA do ano passado.

Dessa forma, a produção está prevista em 347,01MT, ante 350,01MT do mês passado e 366,29MT do ano anterior.

O estoque final norte-americano permaneceu praticamente inalterado, porém, os estoques mundiais cederam, previstos agora em 295,96MT, ante 302,55MT de outubro e 299,5MT estimado por analistas.

A Ucrânia aparece no cenário internacional de milho como uma grande exportadora.

Nas últimas duas safras, a produção se situou em torno dos 36MTcom exportações na faixa de 30MT.

Com logística melhor para U.

E.

e Ásia, muitos países importadores buscam o milho ucraniano que se torna mais barato que o norte e o sul-americanos.

No mercado doméstico, depois da expressiva alta das últimas semanas, os preços buscaram certa acomodação, com indicações de compra, no oeste do estado, entre R$ 37,50/38,00 – dependendo de prazos e de localização.

Porto mantém indicações entre R$ 40,00/41,00 por saca.

(AS INDICAÇÕES DE PREÇO, TANTO PARA SOJA QUANTO PARA MILHO, SÃO UMA IDEIA GENÉRICA DE PREÇOS PARA O OESTE DO ESTADO E, EVENTUALMENTE, PARA O PORTO DE PARANAGUÁ.

PARA INDICAÇÕES MAIS PRECISAS É NECESSÁRIO SUBMETER O LOTE EM QUESTÃO NUMA PROPOSIÇÃO FIRME DE VENDA PARA O MERCADO – PARA ISTO, LIGUE PARA GRANOESTE: (45) 3220-8383).

DÓLAR – Opera zerado neste momento, na faixa de R$ 4,17.

(GRANOESTE CORRETORA – Camilo/Stephan).