Comentário da manhã

Comentário da manhã – 12/11/19 (10h10min) SOJA – Mercado opera estável nesta manhã de terça-feira, a U$ 9,17/janeiro.

O pregão anterior fechou com queda de 14 cents/bu, pressionado por um novo revés nas negociações entre China e EUA e pelo bom andamento da colheita da safra norte-americana.

Devido ao feriado de ontem em repartições públicas dos EUA – Veterans Day – o relatório semanal de progresso de safra será divulgado no final da tarde de hoje.

A China está recompondo seus estoques oficias de soja.

No ano passado, com o início dos entraves comerciais com os EUA e com a quebra da safra Argentina, os estoques ficaram minguados – apesar da intensidade das compras no Brasil.

Nos últimos meses, entretanto, com a intensificação de compras nos EUA (estimuladas pela retirada da sobretaxa de importação), a intenção do governo local foi a de reestabelecer um nível mínimo de estoques estatais – entre 7 e 9MT.

A chegada de grande volume enfrenta problemas logísticos nos portos do país.

A grande maioria destas compras foram feitas por empresas ligadas ao governo.

De acordo com Organização Mundial para Saúde Animal, 25% do rebanho suíno deverá ser dizimado pelo vírus da Febre Suína Africana.

Na última semana, quatro países do leste europeu confirmaram a presença do vírus e outros grandes produtores, como Holanda e Dinamarca estão com alerta máximo, preocupados com contaminações.

A doença continua se espalhando em direção ao Oeste, podendo atingir países da Europa Central.

Países produtores de suínos nas Américas como EUA, Brasil e Canadá estão adotando medidas para evitar a chegada do vírus.

Ainda não há nenhuma perspectiva de descoberta de qualquer vacina para esta epidemia.

As exportações brasileiras de soja continuam intensas, somando 1,2MT na primeira semana de novembro.

No acumulado desta estação, o volume chega a 68,4MT, ante 74,7MT do mesmo intervalo do ciclo passado.

Os dados são da Secex.

Indicações de compras no Oeste do estado na faixa entre R$ 83,00/84,00, dependendo de local de embarque e de prazo de pagamento.

Em Paranaguá, na faixa entre R$ 89,00/90,00.

MILHO – Opera praticamente zerado nesta de terça-feira, a U$ 3,73/dezembro.

Ontem pregão fechou com baixa de 4 cents – com contágio negativo vindo da soja e do trigo.

As exportações brasileiras de milho seguem em ritmo recorde – na primeira semana de novembro somaram 1,26MT.

Na temporada, iniciada em fevereiro, o volume chega a 33,3MT, contra 14,3MT do mesmo período do ciclo passado.

Os dados são da Secex.

No mercado doméstico, depois da expressiva alta das últimas semanas, os preços mantêm certa acomodação, com indicações de compra, no oeste do estado, entre R$ 37,50/38,00 – dependendo de prazos e de localização.

Porto mantém indicações entre R$ 40,00/41,00 por saca.

(AS INDICAÇÕES DE PREÇO, TANTO PARA SOJA QUANTO PARA MILHO, SÃO UMA IDEIA GENÉRICA DE PREÇOS PARA O OESTE DO ESTADO E, EVENTUALMENTE, PARA O PORTO DE PARANAGUÁ.

PARA INDICAÇÕES MAIS PRECISAS É NECESSÁRIO SUBMETER O LOTE EM QUESTÃO NUMA PROPOSIÇÃO FIRME DE VENDA PARA O MERCADO – PARA ISTO, LIGUE PARA GRANOESTE: (45) 3220-8383).

DÓLAR – Opera em alta neste momento, na faixa de R$ 4,17.

Ontem fechou em R$ 4,14.

(GRANOESTE CORRETORA – Camilo/Stephan).