Comentário da manhã

Comentário da manhã – 18/11/19 (10h56min) SOJA – Mercado opera estável nesta manhã de segunda-feira, a U$ 9,18/janeiro.

O pregão anterior fechou com modesta alta de 1,5 cents.

Chicago tem sustentação nos estoques norte-americanos mais apertados e no ritmo lento da colheita nos EUA.

O mercado também começa a dar mais atenção para as adversidades climáticas na américa do Sul.

O esmagamento de soja nos EUA atingiu recorde no mês de outubro, apesar da redução da produção e da colheita em passos lentos.

As exportações também estão mais aceleradas do que no ano passado – sugerindo que haverá novos cortes nos estoques finais.

A China voltou a comprar mais soja nos EUA, diante da isenção da sobretaxa de importação e da necessidade de reconstruir estoques oficiais.

O volume é de cerca de 10MT.

Por outro lado, o mercado continua envolto no imbróglio comercial entre China e EUA, que segue sem qualquer definição clara.

Na semana passada, o presidente Trump desmentiu os negociadores chineses – que disseram que o texto da primeira fase estaria completo e só dependeria de um encontro para as assinaturas.

Trump disse que nada estava concluído e que, se chegassem, de fato, a um acordo, este deveria beneficiar, e muito, os EUA.

Enquanto isso, o governo anunciou que, antes do feriado de Thanksgiving (Dia de Ação de Graças – em 28/11), os produtores receberão outra rodada de ajuda dos cofres públicos.

As vendas semanais de soja norte-americana, na última semana, ficaram em 1,25MT, dentro da expectativa do mercado – que era de 0,8 a 1,4MT.

Na temporada, as exportações chegam a 22,3MT, ante 21,9MT do mesmo intervalo do ano passado.

Dados do USDA.

No Brasil, o momento segue com preços bastante atrativos.

Com câmbio acima dos R$4,15, a tendência é de boas indicações por parte dos poucos compradores de soja disponível.

Indicações de compras no Oeste do estado na faixa entre R$ 84,50/85,50, dependendo de local de embarque e de prazo de pagamento.

Em Paranaguá, na faixa entre R$ 90,00/91,00.

MILHO – Opera estável nesta segunda-feira, a U$ 3,71/dezembro.

Sexta-feira, o pregão fechou com queda de 4 cents.

As vendas semanais de milho norte-americano ficaram dentro da expectativa do mercado, com 0,58MT.

De acordo com o USDA, na temporada, as vendas estão em apenas 12,5MT, contra 23,4MT do mesmo intervalo do ciclo anterior.

No mercado doméstico, os preços seguem firmes.

As exportações se mantêm aceleradas e devem superar os 41MT – um novo recorde histórico.

As dúvidas climáticas e o atraso na implantação das lavouras de verão também se mostram como fatores positivos e mantêm os produtores na defensiva.

Indicações de compra, no oeste do estado, entre R$ 38,50/39,50 – dependendo de prazos e de localização.

Porto mantém indicações entre R$ 40,50/41,00 por saca.

(AS INDICAÇÕES DE PREÇO, TANTO PARA SOJA QUANTO PARA MILHO, SÃO UMA IDEIA GENÉRICA DE PREÇOS PARA O OESTE DO ESTADO E, EVENTUALMENTE, PARA O PORTO DE PARANAGUÁ.

PARA INDICAÇÕES MAIS PRECISAS É NECESSÁRIO SUBMETER O LOTE EM QUESTÃO NUMA PROPOSIÇÃO FIRME DE VENDA PARA O MERCADO – PARA ISTO, LIGUE PARA GRANOESTE: (45) 3220-8383).

Câmbio – opera em ligeira baixa, a R$ 4,18.