Comentário de Mercado

SOJA – Chicago opera em forte alta, de 11 a 13 cents, a U$ 9,32/setembro, nesta manhã de quinta-feira. Além da boa demanda, o mercado está atento nas projeções climáticas, que indicam a ocorrência de tempo quente e seco em extensas áreas do Meio Oeste.
– O mercado chega ao melhor patamar em sete meses; porém, está ainda 4% abaixo dos preços verificados na virada do ano.
– O USDA informou que as exportações de soja dos EUA somaram 1,93MT na última semana. A maior parte é para embarque na temporada 2020/21, que está prestes a começar. Na atual temporada, as vendas chegam a 47,5MT, ante 48,7MT do mesmo período da estação anterior.
– No mercado interno, os preços vão ganhando novos patamares na medida em que a oferta fica mais restrita. As perspectivas são altistas, com indicações acima da paridade internacional, depois do ritmo histórico de vendas para o exterior e enxugamento da disponibilidade doméstica. São verificados negócios raros e pontuais, com definição de preço pela demanda local, voltada para o suprimento interno de farelo e óleo. As estimativas indicam necessidade crescente de importações, que podem chegar a 1,3MT neste ano.
– Além da demanda da indústria, prêmios (na faixa de 175/190) e câmbio continuam promovendo suporte para os preços. Indicações de compra no oeste do estado na faixa de R$ 133,00/135,00.

MILHO – CBOT opera em alta de 3 a 4 cents, a U$ 3,58/dezembro, nesta manhã de quinta-feira. O suporte vem das inquietações com o clima quente e seco em vastas regiões de cultivo dos EUA e com os possíveis danos às lavouras.
– As exportações semanais de milho norte-americano continuam em ritmo acelerado. Na última semana, segundo o USDA, foram registradas vendas de 1,45MT, sendo 1,18MT para embarque na temporada 2020/21. As vendas deste ano somam 44,5MT ante 50,1MT do mesmo intervalo do ciclo passado.
As exportações antecipadas de milho e soja dos EUA, para temporada 2020/21, somam 35,8MT, um volume recorde em se tratando de safra futura. A China é responsável por 53% deste volume. No mesmo período do ano anterior, o montante comprometido era de apenas 11,15MT.
– De acordo com a Cotrirosa, no Rio Grande do Sul, as geadas atingiram áreas recém cultivadas de milho no estado. Estimativas preveem replantio de aproximadamente 1% de 60 mil hectares na região de Santa Rosa. Em outras regiões do estado, também foram relatadas perdas causadas pela geada, necessitando replantio.
– No mercado interno, as indicações de preço se mantêm firmes. O produtor segue retraído, com baixo volume de oferta, diante de indicações de compras crescentes. Isto tem provocado dificuldade na prospecção de lotes não somente para abastecimento das integrações, mas, também, para as tradings exportadoras, que contam com compromissos no exterior.
– No oeste do estado foi observado interesse de compra entre R$ 55,00/56,00 por saca. Em Paranaguá, indicações na faixa de R$ 59,00/60,00 por saca.
CÂMBIO – Opera em leve baixa nesta manhã, na faixa de R$ 5,60. Ontem fechou em R$ 5,617. (Granoeste – Camilo / Stephan).