Comentário de Mercado

SOJA – Chicago opera estável nesta manhã de segunda-feira, a U$ 10,03/novembro. Os preços seguem bem sustentados pela forte demanda chinesa e por certa quebra de produtividade das lavouras norte-americanas.
– A colheita avança pelos campos do Meio Oeste e, com isto, aumenta a oferta de produto disponível. Logo mais, no fim da tarde, o USDA irá divulgar uma nova atualização sobre ao andamento da colheita e sobre as condições das lavouras.
– No Mato Grosso, segundo o IMEA, o plantio da safra de soja chega a 0,75%, ante 1,7% da mesma data do ano passado. A área está estimada em 10,2 milhões de hectares no estado.
– Os preços internos seguem registrando novas máximas históricas, num quadro de escassez, causado pelo ritmo recorde de exportações. Na base da aceleração dos preços está a alta do câmbio, bem como os ganhos recentes na CBOT. Os prêmios se mantêm firmes, na faixa de 175/190.
– O volume de negócios segue contido, com preços acima da paridade internacional. No oeste do PR, indicações de compra na faixa de R$ 148,00/150,00 por saca, dependendo de local de embarque e de prazo de pagamento.

MILHO – CBOT opera em baixa de 1 a 2 cents, a U$ 3,63/dezembro, nesta manhã de segunda-feira. A CBOT é pressionada pelo bom avanço da colheita nos EUA.
– Por lá, o clima seco continua favorecendo a colheita, que até semana a passada computava 8% colhida, contra 10% da média de 5 anos; 59% estava em estágio de maturação, contra 49% de média para este período e praticamente todas as lavouras estavam com grãos formados. No fim da tarde de hoje, o USDA irá atualizar novamente estes indicadores.
– Investidores internacionais aumentam suas posições compradas na CBOT, tanto em milho quanto em soja, devido aos problemas climáticos enfrentados na América do Sul. As chuvas que caíram neste domingo em algumas partes do Paraná foram bastante esparsas.
– Na Argentina, o sindicato dos trabalhadores portuários iniciou uma paralisação dos portos neste domingo e deve se estender até esta segunda-feira. As tratativas foram malsucedidas com o setor privado que atua no porto. O sindicato (que representa também os classificadores) pediu para todos os trabalhadores cessarem as atividades em todo território nacional. Estes funcionários são essenciais para a operação e funcionamento dos portos. Na quinta-feira as conversas serão retomadas.
– O plantio da safra brasileira de milho verão atingiu 32% até a última sexta-feira, de acordo com a consultoria Safras & Mercado. Os trabalhos chegam a 66,7% no Rio Grande do Sul, 42,3% em Santa Catarina e 28,7% no Paraná.
– No mercado doméstico, os preços seguem firmes. Com a alta do câmbio e dos preços internacionais, as indicações de compra nos portos ajudam a sustentar os preços de interior. De maneira geral, os produtores seguem limitando o volume ofertado. O atraso do plantio de verão também entra no radar como elemento de suporte.
– No oeste do estado, interesse de compra entre R$ 58,00/59,00 por saca, dependendo de localização e prazo. Em Paranaguá, indicações na faixa de R$ 63,50 / 64,50 por saca.
CÂMBIO – Opera em leve baixa neste momento, na faixa de R$ 5,54. Na sessão anterior, fechou em R$ 5,556. (Granoeste – Camilo / Stephan).