Comentário de Mercado

SOJA – Chicago volta a operar em alta, de 9 a 11 cents, a U$ 10,73/novembro, nesta manhã de quarta-feira em meio à continuidade da demanda pelo produto norte-americano. As vendas externas dos EUA, conforme levantamento do USDA, já ultrapassam 43,0MT nesta temporada, contra cerca de 18,0MT do mesmo período do ano passado.
– Além do consumo em alta, o mercado é impulsionado por revisões negativas da produção norte-americana e pelo atraso do plantio no Brasil em meio a irregularidades climáticas. Do lado técnico, os preços ganham força pela recomposição de carteiras por parte de investidores, que optam por ficar com mais posições compradas diante do atual cenário.
– O DERAL informa que o plantio de soja no Paraná chega a 32%, ante 45% da mesma data do ano passado. Houve avanço de 16 pontos no decorrer da última semana. Segundo o órgão, 85% das lavoura se encontram em boas condições, ante 72% de um ano atrás. A área está estimada em 5,54MH (mais 1%) e a produção, em 20,5MT (menos 1%).
– No Brasil, além de prêmios firmes, na faixa de 210/230, os preços são acelerados pela explosão da taxa câmbio, que subiu cerca de 40% desde o início do ano e esgotou a disponibilidade interna ao estimular as exportações.

– Os preços internos se mantêm em níveis recordes, acima da paridade internacional, com negócios apenas pontuais. No oeste do PR, as indicações giram na faixa de R$ 164,00/167,00 por saca, dependendo de local de embarque e de prazo de pagamento.

MILHO – CBOT opera em alta de 4 pontos, a U$ 4,12/dezembro, nesta manhã de quarta-feira. Ontem o pregão fechou em alta de 3 cents.

– Dos últimos seis pregões, cinco fecharam no campo positivo. Grande parte desse otimismo é derivado da forte demanda por commodities agrícolas e do clima adverso em várias regiões do mundo, com foco na América do Sul, neste momento.

– De acordo com Deral, o plantio de milho verão no Paraná atinge 86%, ante 88% da mesma época do ano passado. As condições das lavouras são: 83% boas, 15% regulares e 2% ruins, dividindo-se entre os estágios de germinação (14%), crescimento vegetativo (85%) e floração (1%).

– No mercado doméstico, as ofertas seguem limitadas e os preços ganham novos patamares a cada dia. As preocupações se avolumam com o atraso no plantio de verão. Recentes ganhos nos preços internacionais e desvalorização do Real garantem um piso para os preços internos ao viabilizar negócios na exportação em diversas regiões.

– No oeste do estado, interesse de compra na faixa de R$ 68,00/70,00 por saca, dependendo de localização e prazo. Em Paranaguá, indicações na faixa de R$ 72,00 / 73,00 por saca.

CÂMBIO – Opera em leve baixa neste momento, na faixa de R$ 5,58. Na sessão anterior fechou em R$ 5,610. (Granoeste – Camilo / Stephan).