Comentário de Mercado

SOJA – Chicago volta a operar em alta, de 8 a 10 cents, a U$ 10,72/janeiro, nesta manhã de quarta-feira. Ontem, os ganhos foram de 12 cents. Preocupações com certa redução da safra norte-americana, clima adverso na América do Sul e continuidade da demanda seguem promovendo suporte.
– Na próxima semana o USDA irá divulgar o relatório de oferta e demanda de novembro. Com a colheita entrando na reta final, o mercado espera estimativas mais realistas , com novos cortes no volume de produção do país, bem como nos estoques finais.
– Circularam rumores de que o Brasil estaria importando um cargueiro de soja dos EUA, com 38 mil tons. Se confirmada, será a primeira operação de compra naquele país, depois que o governo brasileiro zerou a Tarifa Externa Comum.
– As exportações brasileiras de soja totalizaram 2,49MT em outubro, ante 5,16MT do mesmo mês do ano passado, informa a SECEX. No acumulado desta temporada, as exportações somam 83,7MT, ante 67,9MT do mesmo intervalo da estação passada.
– Internamente, as preocupações se concentram no plantio da nova safra, notadamente por causa das irregularidades climáticas que assolam extensas áreas de cultivo. O volume de negócios segue limitado, diante da baixa disponibilidade.

– Prêmios nos portos brasileiros seguem firmes, na faixa de 240/280 no spot e entre 85/95 para março. No oeste do PR, as indicações giram na faixa de R$ 175,00/178,00 por saca, dependendo de local de embarque e de prazo de pagamento.

MILHO – CBOT opera em leve alta, a U$ 4,02/dezembro, nesta manhã de quarta-feira. Ontem, o pregão fechou em alta de 3 cent. Suporte vem da boa demanda e das perspectivas de novos cortes na produção e nos estoques dos EUA no relatório de oferta e demanda de novembro.

– Na temporada 2020/21, iniciada em 1º de setembro, compradores internacionais já adquiriram 30,6MT de milho norte-americano. Em equivalente intervalo da temporada anterior, este volume era de 11,4MT.

– De acordo com a Secex, em outubro as exportações brasileiras de milho atingiram 5,15MT, ante 6,07MT de outubro do ano passado. Na temporada, os embarques chegam a 23,6MT, contra 32,0MT do mesmo intervalo do ciclo anterior. Para novembro, o line-up dos portos indica exportações de cerca de 4,0MT.

– No mercado doméstico, os preços se mantêm firmes, com ofertas restritas. No oeste do estado, interesse de compra na faixa de R$ 76,00/78,00 por saca, dependendo de localização e prazo. Em Paranaguá, indicações na faixa de R$ 78,00/80,00 por saca.

CÂMBIO – Opera em baixa neste momento, na faixa de R$ 5,70. Na sessão anterior fechou em R$ 5,763. (Granoeste – Camilo / Stephan).