Comentário de Mercado

SOJA – CBOT opera em queda de 12 a 15 cents, a U$ 11,78/janeiro, nesta manhã de terça-feira. Na sessão anterior, o mercado mal conseguiu bater nos U$ 12,00/janeiro, mas foi incapaz de romper esta importante barreira e acabou cedendo.
– As adversidades climáticas no Brasil continuam a prender as atenções do mercado. Analistas entendem que, pelo estado avançado da estação, já é possível considerar que há perdas de produtividade e de produção em algumas regiões. Avaliações isoladas indicam que safra não será mais de 133,0MT/135,0MT, mas de algo entre 125,0MT/128,0MT. Isto começa a impactar o quadro mundial de oferta e demanda, que não comporta novos aumentos de consumo.
– Enquanto isto, na China o esmagamento de soja segue batendo recordes. As estatísticas mostram que, neste ano, o volume semanal tem ficado acima de 2,0MT na maioria das vezes, coisa rara até o ano passado. Mesmo assim, os estoques de farelo são considerados apenas dentro da média histórica; contrariamente, os estoques de óleo estão abaixo da média em razão da menor produção de óleo de canola e de palma nos países da região.
– O USDA informa ter inspecionado o embarque de 2,0MT de soja na última semana. Na temporada, o volume chega a 24,4MT, ante 14,4MT do mesmo período do ano passado.
– Em boletim semanal, a SECEX informa que as exportações brasileiras de soja somam 1,24MT até aqui, em novembro. Na temporada, iniciada em fevereiro, o volume alcança 85,0MT, contra 71,5MT do mesmo intervalo do ciclo anterior.
– Internamente, o clima adverso provocado pelo La Niña segue como o fator mais preocupante. Mesmo assim, a liquidez para produto disponível vem caindo nos últimos dias. Neste momento, poucas indústrias e integrações necessitam de produto pronto; estão com os volumes ajustados para fechar a temporada. Por esta razão, os preços acabaram cedendo depois de atingido um topo no início de novembro.
– Nos portos, prêmios para março são negociados na faixa entre 62/75 sobre Chicago. Indicações de compra no oeste do Paraná, para produto disponível, entre R$ 165,00/167,00 por saca.

MILHO – CBOT opera em baixa de 8 a 9 cents cents, a U$ 4,17/dezembro, nesta manhã de terça-feira. Ontem, fechou com 3,25 pontos positivos. Mercado cede postado em realização de lucros, após ganhos expressivos nos últimos dias e diante do feriado prolongado deste fim de semana (quinta-feira é Dia de Ação de Graças).
– Em boletim semanal, o USDA informou que foi inspecionado o embarque de 0,83MT de milho na última semana, elevando o total da temporada para 9,25MT, ante 5,61MT de igual período do ano passado.
– De acordo com informe semanal, a Secex divulgou que as exportações de milho chegam a 3,5MT, até agora, em novembro. Neste ciclo, iniciado em fevereiro, o volume vendido para o exterior chega a 27,1MT, contra 35MT do mesmo período da estação prévia.
– No mercado doméstico, os preços se mantêm firmes; mas, mostram ter chegado a um topo para este momento, sofrendo certa pressão nas indicações de compra. Mais ofertas aparecem no mercado; porém, diante da expressiva elevação de custos para o setor de carnes, muitas integrações acabam adotando uma postura mais retraída, aguardando algum possível movimento de queda dos preços enquanto consomem os estoques próprios.
– De qualquer maneira, o clima adverso indica sérios problemas na evolução da safra de verão, que é devotada quase que exclusivamente ao abastecimento doméstico.
– Interesse de compra no oeste do estado na faixa de R$ 77,00/78,00 por saca, dependendo de localização e prazo; em Paranaguá, na faixa de R$ 74,00/75,00 por saca.

TRIGO – Opera em baixa de 4 a 5 cents, a U$ 5,95/dezembro. Irregularidades climáticas em regiões produtoras preocupam os investidores; porém, neste momento, o mercado cede seguindo soja e milho, em razão de certa pressão vendedora.
– O USDA divulgou boletim de acompanhamento da safra de trigo de inverno dos EUA: 43% se encontram em boas/excelentes condições; 36%, regulares e 21%, ruins/péssimas.

CÂMBIO – Opera estável neste momento, na faixa de R$ 5,43. Na sessão anterior, fechou em, R$ 5,436. (Granoeste – Camilo / Stephan).