Comentário de Mercado

SOJA – CBOT opera em alta de 5 a 7 cents, a U$ 14,14/maio, nesta manhã de quinta-feira. Depois de perdas nas últimas sessões, fundos e investidores voltam a recompor carteiras.
– Em razão do aperto no quadro de oferta e demanda, todos os movimentos de queda de preço acabam gerando, na sequência, oportunidades para compras. Este é o cenário mais provável pela frente, mesmo com cotações flutuando no melhor patamar dos últimos sete anos.
– Internamente, os preços seguem firmes, porém limitados por prêmios mais pressionados. O volume de negócios se mantém relativamente baixo em razão do atraso da colheita e pela prioridade em atender os contratos celebrados antecipadamente.
– Os prêmios nos portos brasileiros, no mercado spot, são indicados entre 10 e 15 pontos negativos e 5 pontos positivos. Prêmios pressionados e fretes em alta acabam limitando as indicações de compra no interior.
– Indicações de compra no oeste do Paraná na faixa entre R$ 160,00/162,00, dependendo do período de embarque e do prazo de pagamento. Em Paranaguá, interesse de compra na faixa de R$ 171,00/173,00 por saca.

– MILHO – CBOT opera estável neste momento, manhã de quinta-feira, a U$ 5,35/maio. Ontem, fechou com queda de 9 pontos.
– Mercado internacional tem trabalhado no campo negativo nos últimos dias em razão da ausência de novas compras de milho norte-americano e avaliações de que a safra da América do Sul pode alcançar um novo recorde.
– No mercado interno, percebe-se certa redução do volume de vendas. As preocupações estão centradas na colheita e alocação da safra de soja, bem como na implantação da safra de milho de inverno. Por esta razão as negociações como milho tendem a ficar limitadas.
– Interesse de compra, no oeste do estado, na faixa de R$ 79,50/80,50 por saca, dependendo de localização e prazo; em Paranaguá, indicações na faixa de R$ 76,00/78,00 por saca para embarque em julho/agosto.
CÂMBIO – Dólar opera em baixa, na faixa de R$ 5,62. Ontem, fechou a R$ 5,662 (Granoeste – Camilo / Stephan).