Comentário de Mercado

SOJA – CBOT operam em alta, de 10 a 12 cents, a U$ 14,41/maio, nesta manhã de segunda-feira. As irregularidades climáticas na América do Sul seguem no centro da formação do preço.
– Excesso de chuvas na região central e norte do Brasil e falta de umidade na Argentina capturam a atenção do mercado. Com isto, fundos e investidores adotam uma postura francamente compradora, mesmo num momento em que os preços se situam no maior patamar dos últimos sete anos.
– Numa perspectiva de médio prazo, o que o mercado está projetando é mais aperto no quadro de oferta e demanda. Ou seja, antes de uma recomposição dos estoques, virá mais ajustes negativos.
– Nesta terça-feira, o USDA irá apresentar o relatório de oferta e demanda referente ao mês de março. Novos cortes na produção da Argentina são dados como certo. Os estoques finais dos EUA, bem como os estoques finais mundiais, também são esperados em queda no comparativo com fevereiro.
– A colheita da safra brasileira chega a 34,2%, ante 49,2% de um ano atrás e 43,9% de média histórica. O levantamento é da consultoria Safras & Mercado. Houve progresso de 12 pontos percentuais na semana. No MT os trabalhos estão concluídos em 67% (91% da mesma data do ano passado); em GO, em 45% (48%); no MS, em 40% (69%); em MG, em 33% (29%); no PR, em 25% (57%) no RS, em 0,5% (5%).
– No mercado doméstico, os preços se mostram em alta, com suporte dos ganhos em Chicago e do câmbio. Porém, os prêmios se mantêm no campo negativo. O volume de negócios permanece relativamente baixo em razão do atraso da colheita e pela prioridade em atender os contratos celebrados antecipadamente.
– Os prêmios nos portos brasileiros, no mercado spot, são indicados entre 20 e 25 pontos negativos e menos 5 pontos negativos. O preço dos fretes segue em alta, atingindo valores recordes para este período do ano.
– Indicações de compra no oeste do Paraná na faixa entre R$ 165,00/167,00, dependendo do período de embarque e do prazo de pagamento. Em Paranaguá, interesse de compra na faixa de R$ 175,00/177,00 por saca.

MILHO – CBOT opera em leve alta neste momento, manhã de segunda-feira, a U$ 5,48/maio. Na sexta-feira, fechou com alta de 13 pontos.
– Mercado inicia animado esta semana diante da possibilidade de novos cortes nos estoques norte-americanos de milho, números que serão divulgados amanhã no relatório de oferta e demanda global (WASDE). Clima na Argentina ainda é fator de intensa preocupação.
– De acordo com IMEA, o plantio de milho no Mato Grosso atinge 73%, ante 54,66% da semana anterior e 97,98% do mesmo período no ano passado.
– No mercado interno, percebe-se certa redução do volume de ofertas. As preocupações estão centradas na colheita e alocação da safra de soja, bem como na implantação da safra de milho de inverno. Por esta razão as negociações com milho tendem a ficar limitadas, o que dá mais força para novas altas.
– Interesse de compra, no oeste do estado, na faixa de R$ 80,00/81,00 por saca, dependendo de localização e prazo; em Paranaguá, indicações na faixa de R$ 76,00/78,00 por saca para embarque em julho/agosto.
CÂMBIO – Dólar opera em alta, na faixa de R$ 5,74. Na sessão anterior, fechou a R$ 5,682 (Granoeste – Camilo / Stephan).