Comentário de Mercado

SOJA – Depois das fortes perdas, de cerca de 30 cents, apuradas na sessão anterior, a CBOT opera em leve alta, na faixa de U$ 14,15/maio, nesta manhã de quinta-feira. Ultimamente, o que se tem visto é a rápida retomada de compras depois que fundos e investidores realizam vendas maciças. Ou seja, quedas abrem oportunidades para compras.
– A Conab acaba de divulgar o relatório de projeção de safra referente ao mês de março, prevendo uma produção de 135,1MT, alta de 8% sobre as 124,8MT do ciclo passado. Em fevereiro a estimativa era de 133,8MT. A área semeada ficou em 38,5MH, aumento de 4,1% sobre o ano anterior, quando foram semeados 36,9MH.
– Levantamento da consultoria Safras & Mercado indica que 62,7% da safra brasileira de soja já foi comercializada. Na mesma época do ano passada o índice era de 61%, com média histórica de 49%.
– No mercado doméstico, os preços são indicados em queda, em linha com as perdas na CBOT e, sobretudo, no câmbio. Os prêmios nos portos brasileiros, no mercado spot, são indicados entre 30 pontos negativos e 5 pontos negativos.
– Indicações de compra no oeste do Paraná na faixa entre R$ 161,00/162,00, dependendo do período de embarque e do prazo de pagamento. Em Paranaguá, interesse de compra na faixa de R$ 170,00/171,00 por saca.

MILHO – CBOT opera em alta de 4 a 6 cents, a U$ 5,40/maio neste momento, manhã de quinta-feira. Ontem fechou com queda de 11 pontos.
– Ontem, o mercado cedeu em razão da perspectiva de chuvas para os próximos dias na Argentina. Os solos estão bastante secos na maioria das regiões de cultivo do país. Além disso, os números do relatório do USDA seguem como limitadores da evolução dos preços.
– A CONAB acaba de divulgar os números do relatório de março referente a produção brasileira de milho para esta temporada. A produção é projetada em 108,1MT, alta de 5,5% sobre as 102,5MT da colheita do ano passado; o consumo interno é estimado em 72,1MT, ante 68,7MT do ciclo passado; e as exportações estão avaliadas em 35,0MT, contra 34,9MT da última temporada.
– No mercado interno, o volume de ofertas segue limitado. As preocupações se mantêm centradas na colheita e na alocação da safra de soja, bem como na implantação da safra de milho de inverno. Por esta razão as negociações tendem a ficar limitadas, o que dá mais força para novas altas.
– Interesse de compra, no oeste do estado, na faixa de R$ 82,00/84,00 por saca, dependendo de localização e prazo; em Paranaguá, indicações na faixa de R$ 79,00/81,00 por saca para embarque em julho/agosto.
CÂMBIO – Dólar opera em baixa, na faixa de R$ 5,61. Na sessão anterior, fechou em forte queda, a R$ 5,655 (Granoeste – Camilo / Stephan).