Comentário de Mercado

SOJA – CBOT opera em queda de 7 a 9 cents, a U$ 14,10/maio, nesta manhã de quinta-feira. Os preços seguem acomodados nesta semana em face da ocorrência de chuvas muito necessárias em extensas áreas de cultivo da Argentina. No Brasil, apesar dos transtornos climáticos, caminha-se para uma safra recorde.
– Além do alívio momentâneo para as lavouras do país vizinho, o mercado segue monitorando a falta de negócios com soja dos EUA. Embora o volume comprometido com exportações já esteja em torno de 60,0MT, agentes do mercado veem como altamente positivo se a meta do USDA, de 61,0MT, for estourada no decorrer. Por esta razão, os participantes estarão atentos ao relatório de exportações, que será divulgado logo mais.
– De qualquer maneira, é natural que o mercado se movimente para embarcar produto no Brasil nesta altura da estação. Atraso na colheita e atraso na logística tendem a acumular novos recordes nos volumes despachados pelos portos nos meses de março, abril e maio.
– Na visão da ABIOVE, a safra brasileira de soja deve alcançar 134,8MT, um aumento de 2,2MT em relação à estimativa anterior. No ciclo passado a entidade fechou o volume de colheita em 128,0MT. Neste ano, as exportações devem alcançar 84,0MT e o esmagamento doméstico, 47,0MT.
– Internamente, as indicações de compra continuam cedendo em resposta a um câmbio mais acomodado e às perdas na bolsa norte-americana. O produtor, que já vinha participando pouco em razão do grande percentual vendido antecipadamente, fica ainda mais retraído diante da momentânea inversão de suas expectativas.
– Prêmios no mercado spot sendo cotados na faixa entre 25 e 15 cents negativos nos principais portos brasileiros. Indicações de compra no oeste do estado na faixa entre R$ 157,00/158,00 por saca; em Paranaguá, entre R$ 166,00/168,00.

MILHO – CBOT opera ligeiramente em baixa, a U$5,56/maio, nesta manhã de quinta-feira em meio a melhoras climáticas na Argentina. Em contrapartida, a demanda chinesa joga no campo positivo e, em parte, atenua as perdas.
– Exportadores norte-americanos divulgaram vendas, nesta semana, superiores a 2,0MT de milho para a China, para embarque nesta temporada.
– No mercado interno, o volume de ofertas segue limitado. As preocupações se mantêm centradas na colheita e na alocação da safra de soja, bem como na implantação da safra de milho de inverno. Por esta razão as negociações tendem a ficar limitadas, o que dá mais força para os preços.
– Interesse de compra, no oeste do estado, na faixa de R$ 83,50/85,00 por saca, dependendo de localização e prazo; em Paranaguá, indicações na faixa de R$ 77,00/78,00 por saca para embarque em julho/agosto.
CÂMBIO – Dólar opera em queda neste momento, cotado a R$ 5,54, após decisão do Copom em aumentar a taxa Selic, de 2% para 2,75% ao ano. Na sessão anterior fechou em leve baixa, a R$ 5,586 (Granoeste – Camilo / Stephan).