Comentário de Mercado

SOJA – CBOT opera em forte alta, de 23 a 25 cents, a U$ 14,74/maio, neste momento, manhã de terça-feira. Os preços são impulsionados pelas projeções de clima adverso nos EUA, onde o plantio está na fase inicial e pela continuidade do intenso consumo por soja e derivados, num cenário de aperto no quadro geral de oferta e demanda. Com isto, Chicago volta a operar novamente nos melhores patamares em 7 anos.

– Nos EUA, o USDA informa que o plantio da safra de soja chega a 3%, ante 2% da mesma data do ano passado e os mesmos 2% de média histórica. O índice ficou dentro do esperado; porém, o que preocupa são as projeções de clima frio, com possibilidade de ocorrência de geadas nos estados mais ao norte. No extremo sul é o excesso de umidade que pode causar atraso nos trabalhos de campo.

– No mercado interno, o volume de negócios segue restrito diante das constantes altas de preço. Além disto, levando em conta a boa capitalização e o grande volume vendido de forma antecipada, os produtores preferem aguardar o desenrolar da estação. O período de plantio e evolução da safra norte-americana sempre cria expectativas pela ocorrência de rallies climáticos em Chicago e, portanto, avaliações sobre novas altas de preço.
– Os prêmios, um tanto acomodados nos últimos dias, são cotados, no spot, na faixa entre 5 e 15 cents sobre Chicago; para junho/julho, entre 20 e 45 e para agosto, entre 92 e 100 cents. A escassez de ofertas impulsiona os prêmios e, por extensão, os preços, na medida em que os prazos de embarque e pagamento são dilatados e na medida em que a logística de exportação fica mais favorável.
– Indicações de compra no mercado pronto, no oeste do estado, na faixa entre R$ 173,00/174,00 por saca; indicações que podem avançar para R$ 175,00/176,00 para junho/julho. Em Paranaguá, no mercado spot, interesse entre R$ 179,00/180,00 – dependendo de prazos de entrega e pagamento e, no interior, também do local de embarque.

MILHO – CBOT opera novamente em alta, de 4 a 6 cents, cotada a U$ 5,97/maio, neste momento, manhã de terça-feira. Ontem, pregão fechou com 6 pontos positivos. CBOT volta a operar próximo de U$6,00, no melhor patamar em 8 anos, sustentado pelo clima adverso no plantio norte-americano e na América do Sul.
– De acordo com o USDA, até o último domingo, 8% das lavouras de milho estavam semeadas, ante 6% do mesmo período do ano anterior e média histórica de 8%. As projeções climáticas sugerem uma desaceleração nos trabalhos de campo nos próximos dias.
– Na semana passada, as inspeções de exportação de milho norte-americano ficaram em 1,52MT; o mercado aguardava algo como 1,75MT. No acumulado desta safra, o montante chega a 39,24MT, ante 21,34MT do mesmo intervalo da safra passada. Os dados são do USDA.
– De acordo com o Ministério da Agricultura, o governo zerou a alíquota para importação de milho, soja, óleo e farelo de soja devido ao expressivo aumento dos preços. A decisão é válida até dia 31 de dezembro deste ano. De acordo com Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, o volume de milho importado nos três primeiros meses deste ano já é 90% maior se comparado com o mesmo período do ano anterior. As importações são oriundas da Argentina e Paraguai.
– De acordo com o IMEA, a produção de milho safrinha no MT deve ficar em 34,9MT, ante 35,45MT da temporada anterior. A Secex estima as exportações de milho safrinha mato-grossense em 22,2MT.
– No mercado interno, o volume de ofertas segue limitado. Os preços se mantêm em constantes altas, diante das preocupações crescentes com irregularidades climáticas e com a implantação tardia das lavouras. De outro lado, o forte incremento no custo dos insumos vem impondo dificuldades para a cadeia produtiva de carnes, que vem reduzindo o alojamento de animais.
– Interesse de compra, no oeste do estado, na faixa de R$ 100,00/102,00 por saca, dependendo de localização e prazo; em Paranaguá, indicações na faixa de R$ 81,00/83,00 por saca para embarque em julho/agosto.

CÂMBIO – Dólar opera em alta neste momento, cotado em R$5,56. Ontem, fechou a R$5,553(Granoeste – Camilo / Stephan).