Comentário de Mercado

SOJA – Contratos futuros operam em ligeira queda nos futuros de Chicago nesta manhã de terça-feira, a U$
8,84/março. Ontem houve ganhos de 2 cents – chegando a uma alta de 1,5% desde o início do mês, depois de perdas
superiores a 8% em janeiro.
Logo mais, o USDA irá apresentar o relatório de oferta e demanda de fevereiro. O mercado aguarda pequenos ajustes
em relação ao mês passado. Os estoques finais dos EUA devem ter alguma redução em resposta à melhor demanda
tanto para esmagamento interno quanto para exportações. A safra brasileira deve ser ajustada para algo como 124MT.
Com alimentos mais caros, na China o índice de inflação anual já supera 5%. A produção interna, especialmente de
carnes, está enfraquecida em face do agressivo surto de peste suína africana – que reduziu os rebanhos de porcos em
cerca de 40% e obrigou o país a recorrer a maciças importações de carnes, elevando, inclusive, os preços
internacionais.
Atualizando números sobre o coronavírus: 43.140 casos; 1.018 mortes e 4.230 pessoas recuperadas.
A CONAB acaba de divulgar a estimativa de safra de fevereiro, elevando a safra brasileira de soja para 123,25MT,
ante 122,23Mt de janeiro. No ano passado a colheita ficou em 115,03MT. A área semeada ficou em 36,8 milhões de
hectares, aumento de 2,6% sobre os 35,87MH cultivados na safra anterior.
Com alta superior a 7%, a firmeza do dólar tem sido o fator primordial para a sustentação dos preços domésticos neste
início de ano. Além disto, os prêmios portuários apresentaram ganhos da ordem de 10 a 20 cents e giram na faixa entre
50 e 65 cents/bu sobre Chicago. Do lado negativo vale destacar as perdas de mais de 6% na bolsa norte-americana e o
expressivo aumento dos fretes. Tudo somado e subtraído, verifica-se preços internos com pequenas variações; porém,
bem sustentados.
Indicações de compra no Oeste estado entre R$ 79,50/80,50 – dependendo de local e de prazo de pagamento. Em
Paranaguá, indicações entre R$ 86,50/87,50.
MILHO – Contratos futuros em Chicago trabalham em leve baixa nesta manhã de terça-feira, a 3,80/março. Ontem
pregão encerrou com perda de 1,75 cent.
Hoje será divulgado o relatório mensal de oferta e demanda do USDA, referente a fevereiro. Analistas estimam os
estoques finais norte-americanos de milho em 47,15MT, abaixo do mês de janeiro, 48,07MT. Os estoques finais
mundiais são esperados em linha com o mês de janeiro, com mínimas alterações, projetados em 297,5MT. As
avaliações indicam a safra brasileira de milho em 100,8MT e a safra argentina, em 49,8MT.
A CONAB estima produção da safra de verão em 26,05MT; a safrinha, em 73,27MT e uma terceira safra, em 1,16MT,
totalizando 100,48MT para estação 2019/20. A previsão de janeiro era de aproximadamente 98MT e no ano passado, a
produção total ficou em 100,05MT. Estas estimativas, referentes a fevereiro, foram divulgadas pela CONAB nesta
manhã.
No oeste do estado, indicações de compra entre R$ 45,50/46,50 – dependendo de prazos e de localização. Porto, com
indicações entre R$ 42,50/43,50 por saca.
(AS INDICAÇÕES DE PREÇO, TANTO PARA SOJA QUANTO PARA MILHO, SÃO UMA IDEIA GENÉRICA
DE PREÇOS PARA O OESTE DO ESTADO E, EVENTUALMENTE, PARA O PORTO DE PARANAGUÁ.
PARA INDICAÇÕES MAIS PRECISAS É NECESSÁRIO SUBMETER O LOTE EM QUESTÃO NUMA
PROPOSIÇÃO FIRME DE VENDA PARA O MERCADO – PARA ISTO, LIGUE PARA GRANOESTE: (45) 3220-
8383).
DÓLAR – Opera em leve queda, na faixa de R$ 4,31. (GRANOESTE CORRETORA – Camilo /Stephan).