Comentário de Mercado

SOJA – CBOT opera estável, a 15,20/julho, neste momento, manhã de quarta-feira. Ontem, depois de 10 sessões em alta e ganhos de 180 cents, ou 13%, fundos e especuladores se tornaram francamente vendedores, pressionando os preços com queda de 20 cents em todos os principais vencimentos. A movimentação foi tida como puramente técnica e graficamente explicável.
– Ontem, no começo da sessão, os preços romperam pela primeira vez em quase nove anos, a marca de U$ 16,00 por bushel.
– Em termos fundamentais, o mercado segue firme, postado na escassez de produto, com baixos estoques e demanda muito ativa.
– Olhando para frente, milho e soja disputam área na nova safra dos EUA. Esta competição se dá por meio da relação de preço entre as duas commodities. No início deste ano, o preço da soja correspondia a três bushels de milho; hoje, está em 2,4. Ou seja, o preço do milho subiu muito mais comparativamente ao da soja.
– Por outro lado, cresce a percepção de que a área final nos EUA será superior àquela projetada pelo USDA em fins de março. Os bons preços, tanto de milho quanto de soja, irão estimular os produtores a ocupar todos os espaços disponíveis.
– De qualquer maneira, o grande jogo será protagonizado pelo comportamento climático. Num cenário de forte aperto no quadro de oferta e demanda, o regime de chuvas e as temperaturas irão promover muita volatilidade nos preços.
– Circulam rumores de que uma empresa norte-americana de carnes estaria comprando um cargueiro (cerca de 31 mil tons) de soja do Brasil. Isto demonstra quão escassa está a oferta no interior dos EUA. Há anos que não se tem notícias sobre operações de venda de soja do Brasil para os EUA.
– As exportações brasileira de soja caminham para bater um novo recorde mensal neste mês de abril, com chances de ultrapassar a marca de 17,0MT. Até o último final de semana, de acordo com boletim da SECEX, os embarques em abril chegavam a 14,62MT. Nesta temporada, iniciada em fevereiro, as exportações somam 31,0MT, ante 28,0MT do mesmo intervalo do ano passado.
– Internamente, os preços foram pressionados diante da queda na bolsa norte-americana, no câmbio e nos prêmios (que são cotados no mercado spot entre 30 e 15 cents negativos; para junho / julho são indicados entre negativos 10 a positivos 15 e, para agosto, entre 60 e 75 sobre a CBOT).
– Indicações de compra no mercado pronto, no oeste do estado, na faixa entre R$ 174,00/176,00 por saca; indicações que podem avançar para R$ 176,00/178,00 para junho/julho. Em Paranaguá, no mercado spot, interesse entre R$ 180,00/182,00 – dependendo de prazos de entrega e pagamento e, no interior, também do local de embarque.

MILHO – CBOT opera em queda de até 10 e 12 cents nos meses mais adiantados; maio opera em leve alta, a U$ 6,98, neste momento, manhã de quarta-feira. As posições mais distantes trabalham no campo negativo devido a realização de lucro após patamares históricos vividos nos últimos dias, com maio tendo ultrapassado os U$ 7,00. Somente em abril, os ganhos acumulados até ontem eram de 24%, com oito pregões consecutivos de alta.
– O USDA reportou a venda de 0,1MT de milho para destinos não revelados para embarque nesta temporada. Apesar de volumes mais comedidos, a demanda externa continua muito ativa.
– Ainda, segundo o USDA, o plantio da safra de milho chegou a 17% até o último domingo, ante, ante 24% da mesma época do ano passado e 20% de média histórica.
– No mercado interno, o volume de oferta segue limitado diante da alta dos preços internacionais e, sobretudo, diante das preocupações crescentes com irregularidades climáticas. As previsões indicam continuidade do tempo seco nos estados do Paraná e do Mato Grosso do Sul, onde as lavouras de milho safrinha vem apresentando queda acentuada de produtividade.
– Interesse de compra, no oeste do estado, na faixa de R$ 104,00/105,00 por saca, dependendo de localização e prazo; em Paranaguá, indicações na faixa de R$ 86,00/88,00 por saca para embarque em julho/agosto.

CAMBIO – Dólar opera em baixa, cotado em R$5,42. Ontem, fechou em R$ 5,461. (Granoeste – Camilo / Stephan).