Comentário de Mercado

SOJA – Chicago opera com fortes perdas, de 17 a 19 cents, nesta manhã de quinta-feira, a U$ 8,54/maio, em meio aos desdobramentos do avanço do coronavírus pelo mundo. Ontem, houve 3 cents de perdas. Neste mês, a CBOT registra queda de 5% e, no ano, de 11%.
Internacionalmente, pesam, duas consequências do coronavírus: a) a decisão da Organização Mundial da Saúde de enquadrar a evolução da doença como pandemia e b) a decisão do governo norte-americano de proibir voos da Europa para os EUA pelos próximos 30 dias.
Além disto, internamente, pesa a decisão do Congresso Nacional que rejeitou o veto do presidente Bolsonaro e permite facilitar o acesso ao Benefício de Prestação Continuada. Isto implica em aumento das despesas públicas em cerca de R$ 20 bilhões por ano.
O reflexo disto é pressão sobre os preços internacionais de commodities e ativos financeiros e, de outro lado, acentuada desvalorização do Real e queda dos prêmios portuários.
O mercado segue avaliando o cenário, ainda sem indicações de compra nesta manhã. Ontem houve negócios no oeste do estado até a 86,50 e, em Paranaguá, entre R$ 93,00/94,00.
MILHO – Os contratos futuros de milho, em Chicago, trabalham em queda acentuada nesta manhã de quinta-feira, a 3,69/maio. Ontem, pregão fechou com 3 cents de baixa. A BMF trabalha em alta de 1,65%, cotada a R$52,45/maio.
De acordo com a AIE (Administração de Informação de Energia), a produção de etanol norte-americano caiu 3,2% desde a semana passada, juntamente com a derrocada do petróleo.
De acordo com o DERAL, o plantio de milho safrinha no Paraná chega a 84% da área estimada em 2,153MH, 4% menor que a estação passada. A safrinha é projetada em 12,34MT e as lavouras se encontram em: 98% em boas e 2% em condições médias.
A colheita de milho verão no Paraná atinge 57% dos 348,8 mil hectares. A safra de verão no estado é estimada em 3,24MT.
Mercado começa a dar atenção à estiagem que atinge o Paraná e parte do Mato Grosso do Sul. É mais um elemento para sustentar os preços. O mercado segue lento e firme. De acordo com Paulo Molinari “Se as chuvas não retornarem logo, a paralisação de vendas pode ser ainda mais sentida”
Mercado ainda ausente de indicações, observando o comportamento errático do câmbio e das cotações internacionais. Na jornada anterior, as indicações de compra ficaram entre R$ 47,50/50,00 – dependendo de prazos e de localização.
(AS INDICAÇÕES DE PREÇO, TANTO PARA SOJA QUANTO PARA MILHO, SÃO UMA IDEIA GENÉRICA DE PREÇOS PARA O OESTE DO ESTADO E, EVENTUALMENTE, PARA O PORTO DE PARANAGUÁ. PARA INDICAÇÕES MAIS PRECISAS É NECESSÁRIO SUBMETER O LOTE EM QUESTÃO NUMA PROPOSIÇÃO FIRME DE VENDA PARA O MERCADO – PARA ISTO, LIGUE PARA GRANOESTE: (45) 3220-8383).
DÓLAR – O dólar opera em novo e disparado recorde nesta manhã, refletindo todas as incertas causadas pelo avanço do coronavírus – ultrapassando a importante marca de R$ 5,00. Neste momento opera na faixa de R$ 4,92 e, no ponto mais alto, chegou a R$5,029 – logo na abertura. (GRANOESTE CORRETORA – Camilo /Stephan).