Comentário de Mercado

SOJA – CBOT opera em alta de 8 a 10 cents, a U$ 15,32/julho neste momento, manhã de terça-feira. Depois de várias sessões em queda, o mercado reage ao menor ritmo de plantio da safra norte-americana ao longo da última semana.
– De acordo com o USDA, em boletim divulgado no fim da tarde de ontem, o plantio da safra de soja chega a 75%, ante 63% da mesma época do ano passado e 54% de média histórica. Houve progresso de 14 pontos na semana; porém, o mercado esperava um incremento de algo como 20 pontos. Quarenta e um por centos das áreas estão germinadas, contra 33% de um ano atrás e 25% de média.
– Neste dia 30 de junho o USDA irá apresentar o relatório final de plantio. Por enquanto, o número oficial é aquele projetado em fins de março, com área de soja estimada em 35,45MH, aumento de 5,5% sobre os 33,63MH cultivados no ano passado.
– A evolução da nova safra norte-americana entra definitivamente no radar dos investidores. E assim será até fins de agosto. Por enquanto, o clima tem se comportado de forma regular, com chuvas generalizadas em quase todas as regiões. Somente a porção mais ao norte necessita de chuvas neste momento. As temperaturas estão em elevação, o que ajuda na germinação e desenvolvimento das plantas. Com uma produção estimada em 119,9MT e estoques finais projetados em apenas 3,8MT, o comportamento climático será decisivo para aliviar ou agravar as tensões que concorrem para a formação do preço.
– As exportações brasileiras de soja somam até aqui, em maio, 12,65MT, informa a SECEX. Na temporada, iniciada em fevereiro, o volume exportado chega a 46,35MT, ante 42,8MT do mesmo intervalo do ano passado.
– No mercado spot, os prêmios são indicados entre 20 e 5 cents negativos; para julho, negativos 5 e positivo 5 e para agosto, entre 55 e 70 sobre a CBOT.
– Em geral, o mercado interno, que vinha lento, ficou praticamente paralisado diante da recente queda de preços. As indicações de compra, no oeste do Paraná, estão na faixa entre R$ 169,00/170,00 por saca. Em Paranaguá, interesse entre R$ 177,00/178,00 – dependendo dos prazos de entrega e pagamento e, no interior, também do local de embarque.

MILHO – CBOT opera em queda de 3 a 5 pontos, a U$ 6,53/julho, neste momento, manhã de terça-feira. Ontem, o pregão fechou com 3 cents negativos. Os fatores de influência na formação do preço continuam mistos para o mercado. De um lado, a demanda aquecida pelo grão norte-americano promove sustentação; do outro, o clima favorável ao desenvolvimento das lavouras e o bom ritmo do plantio nos EUA dão o tom negativo.
– De acordo com o USDA, até o último domingo, o plantio das lavouras de milho alcançou 90%, ante 87% da mesma data do ano passado e 80% de média histórica. O percentual veio em linha com o esperado pelo mercado. Sessenta e quatro por cento das áreas já germinou, contra 61% da mesma época do ano passado e 54% de média.
– O USDA informa ter inspecionado o embarque de 1,72MT de milho na última semana. O mercado esperava algo entre 1,7MT e 2,2MT. No acumulado da temporada, o volume embarcado soma 48,87MT, o que representa um aumento de 69% em relação ao volume despachado no mesmo intervalo da estação prévia.
– No mercado interno, os preços seguem pressionados, depois dos recordes atingidos na virada de abril para maio. A perspectiva de chegada da nova safra (apesar da quebra acentuada por estiagem), combinada com operações de wash out (produto que seria exportado e agora fica no mercado interno) e alguns volumes importados do Paraguai e da Argentina promovem aumento da disponibilidade doméstica.
– Além disso, existe certo aumento da oferta de produto disponível uma vez que muitos produtores aceleram as vendas para abertura de espaço nos armazéns. Por outro lado, muitas integrações passaram a indicar compras somente para meses mais adiante, contando com a efetiva entrada de produto novo.
Interesse de compra, no oeste do Paraná, na faixa de R$ 91,00/93,00 por saca, dependendo de localização e prazo; em Paranaguá, indicações na faixa de R$ 84,00/86,00 por saca.

CÂMBIO – Dólar opera em baixa neste momento, cotado em R$5,30; ontem, fechou em R$ 5,325 (Granoeste – Camilo / Stephan).