Comentário de Mercado

SOJA – CBOT opera em acentuada alta, de 22 a 25 cents, a U$ 15,54/julho, neste momento, manhã de terça-feira. Depois do feriado nos EUA, o mercado reabre buscando suporte na boa demanda e, sobretudo, no acompanhamento do clima no Meio Oeste norte-americano.
– O mês de maio terminou com ganhos de apenas 0,5%. Durante o mês, no entanto, houve oscilações acentuadas. A posição presente teve a máxima em U$ 16,60 e a mínima em U$15,03.
– O plantio da safra norte-americana caminha para o final (no fim da tarde de hoje o USDA irá divulgar uma nova atualização sobre o ritmo dos trabalhos e sobre as condições das lavouras). O clima, em geral, tem se comportado de forma adequada; porém, alguns pontos merecem atenção, notadamente, áreas mais ao norte onde está evidente a falta de umidade do solo. As temperaturas estão em elevação nas Planícies do Norte, depois de um fim de semana no qual foi registrado geadas em áreas mais baixas.
– Para os próximos dias, a meteorologia indica a passagem de uma onda de chuvas que atinge toda a região central e leste do país. A porção norte tem previsão somente para a próxima semana. As atenções se voltam para as áreas centrais que podem não ser atingidas por nenhum dos dois sistemas. Os participantes seguirão atentos ao movimento do clima.
– O IMEA prevê que o estado do Mato Grosso irá semear 10,8MH de soja na temporada 2021/22, aumento de 3,2% sobre a área da última safra. Os bons preços praticados na comercialização antecipada e a melhor relação de troca por insumos são os fatores indicados como preponderantes para o aumento da área, informa o instituto. As projeções indicam uma produção de 37,3MT, aumento de 3,4% sobre a última colheita.
– Sem a referência externa, os negócios ficaram paralisados nesta segunda-feira. Hoje, o mercado deve retomar com indicações mais atrativas, respondendo aos fortes ganhos observados na bolsa norte-americana. Por outro lado, prêmios seguem pressionados e câmbio opera próximo de R$ 5,20 – o que deve limitar os preços na conversão para o mercado doméstico. Indicações de compra na faixa de R$ 168,00/169,00 no oeste do Paraná e ao redor de R$ 174,00/175,00 no porto de Paranaguá.

MILHO – CBOT opera em forte alta, de 18 a 20 cents, a U$ 6,75/julho, neste momento, manhã de terça-feira. Ontem, não houve pregão devido ao feriado nos EUA (Memorial Day). Hoje, a CBOT reage a indicações que, em algumas regiões, o clima pode começar a apresentar irregularidades; além disto, o mercado segue respondendo à grande demanda, notadamente por parte da China, que confirmou compras superiores a 5,0MT na última semana.
– De acordo com a consultoria Safras & Mercado, a produção brasileira de milho, verão e inverno, deve se situar em 95,2MT, ante 104,1MT estimados em abril e 106,8MT da temporada anterior. Esse corte se deve à intensificação da estiagem no mês de maio. Para a safrinha, a estimativa de produção cai de 70,8MT para 61,6MT. Pela ordem, os estados mais prejudicados com o clima seco e perda de produtividade são: Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Goiás, Mato Grosso e Minas Gerais.
– Ao mesmo tempo, a consultoria prevê um drástico corte nas exportações, para 23,9MT, ante 34,9MT da temporada anterior. Em paralelo, as importações crescem para 2,25MT, ante 1,45MT do ano anterior. O consumo interno segue em alta, estimado em 76,4MT, contra 76,0MT do último ano e 71,0MT de dois anos atrás.
– Merece atenção o volume de milho destinado à produção de etanol, que chega a 7,3MT, ante 6,5MT do ano passado e 3,4 MT de dois anos atrás. A produção de etanol começou no Brasil em 2017. Os dados são de Safras & Mercado.
– De acordo com o IMEA, a safra de milho do Mato Grosso está estimada em 32MT, representando redução de 2,4% em relação a produção da temporada passada.
– Depois de um rápido recuo nas cotações, os preços internos se estabilizam, ao mesmo tempo em que volta a aumentar o interesse de compra. Alguns focos de colheita começam a aparecer, notadamente no MT. Enquanto isto, lotes ainda remanescentes da safra passada chegam ao mercado para abrir espaço nos armazéns.
– Por outro lado, algumas integrações contam com certo volume adequado de estoques e passam a indicar compras somente para meses mais adiante, contando com a efetiva entrada de produto novo.
– Negócios no este do Paraná, na faixa de R$ 93,00/94,00 por saca, dependendo de localização e prazo; em Paranaguá, indicações na faixa de R$ 84,00/86,00 por saca.
CÂMBIO – Dólar opera em queda, cotado em R$5,19; ontem, fechou em R$ 5,223 (Granoeste – Camilo / Stephan).