Comentário de Mercado

SOJA – CBOT opera em queda acentuada, em torno de 40 a 45 cents neste momento, manhã de segunda-feira, a U$ 14,66/julho, em meio ao retorno de chuvas em importantes áreas de cultivo dos EUA, sobretudo na porção norte, que vinham sofrendo com o excesso de calor e baixa umidade do solo. Fundos e investidores voltaram a atuar agressivamente na ponta vendedora. O mercado aprofunda as perdas, que somente na semana passada chegaram a 5%.
– Além da questão climática, as avaliações indicam que a área semeada deverá ficar acima das projeções do USDA, de 35,45MH, feitas em fins de março. O relatório final de plantio será divulgado no dia 30 deste mês.
– Outro ponto que pressiona o mercado nos últimos dias é a possibilidade de redução dos índices de mistura de biocombustíveis no óleo diesel e na gasolina. O governo norte-americano vem sofrendo intensa pressão de congressistas e de lobbies ligados à indústria do petróleo. Se isto ocorrer, haverá menor demanda de oleaginosas para a produção de biodiesel e redução do consumo de milho para a produção de etanol.
– O relatório de oferta e demanda de junho, divulgado pelo USDA na última quinta-feira, indicou um ligeiro aumento dos estoques norte-americanos e mundiais, tanto para a atual temporada, quanto para 2021/22. Isto trouxe certo alívio para o mercado, num momento de extremo aperto do quadro de oferta e demanda.
– Internamente, os negócios tendem a seguir travados, diante das acentuadas perdas observadas nos últimos dias na bolsa norte-americana. Certo alívio vem da recuperação dos prêmios que se mostram em recuperação; são cotados, no spot, entre ao par e 20 cents positivos. Indicações de compra no oeste do estado na faixa entre R$ 160,00/161,00 e, em Paranaguá, na faixa entre R$ 165,00/168,00 – dependendo de prazo de pagamento e, no interior, também do local de embarque.
s
MILHO – CBOT opera em forte baixa, de 25 a 30 cents, a U$ 6,60/julho, neste momento, manhã de segunda-feira. Na última sexta-feira, pregão fechou com queda de 14 pontos, baseado na informação de que, nos EUA, empresas ligadas ao ramo petrolífero, pressionam o governo para que reduza a proporção de biocombustíveis (biodiesel e etanol) na composição do diesel e da gasolina.
– Outro fator que joga os preços para o lado negativo é a melhora no clima no Meio Oeste norte-americano. Algumas regiões, que estavam sofrendo com o tempo quente e seco, como a Dakota do Norte, começaram a receber melhores índices de chuvas neste último fim de semana. O clima melhora também no Meio Oeste, em estados como Iowa e Nebraska, dois estados centrais na produção de milho e soja.
– Em relatório divulgado na última quinta-feira, a CONAB reavaliou a produção brasileira de milho, verão e inverno, para 96,4MT, ante 106,4MT do report do mês anterior. Este corte é basicamente referente à safrinha, que era projetada em 79,8MT no relatório de maio e agora é avaliada em 69,9MT. Isto representa queda de 6,8% em relação à temporada passada.
– Ainda, segundo a Conab, a previsão de exportações de milho brasileiro diminuiu para 29,5MT, ante 35MT do relatório de maio, além de possível aumento na importação do grão.
– No mercado interno, os preços se estabilizaram nos últimos dias e tendem a ser pressionados nas próximas semanas com o início da colheita e com a queda dos preços internacionais. Cresce a expectativa em relação aos índices de produtividade e qualidade dos grãos. Do lado comprador, a esperança é pelo aumento da oferta com a chegada de produto novo e com intensificação das vendas dos lotes remanescentes da safra anterior.
– Interesse de compra no oeste do Paraná na faixa de R$ 91,00/93,00 por saca, dependendo de localização e prazo; em Paranaguá, indicações na faixa de R$ 84,00/86,00 por saca.

TRIGO – De acordo com a Conab, a safra de trigo foi elevada de 6,64MT no relatório do mês anterior para 6,94MT no presente report, com importações avaliadas em 6,4MT. No último ano a produção ficou em 6,23MT e as importações, em 6,6MT.

CÂMBIO – Dólar opera em baixa, cotado em R$5,09 neste momento; na sexta-feira, fechou em R$ 5,12 (Granoeste – Camilo / Stephan).