Comentário de Mercado

SOJA – Chicago volta a operar no campo negativo nesta abertura de semana. A posição maio perde entre 6 e 7 cents, a u$ 8,49. Na sexta houve queda de 9 cents. Na CBOT, desde o início de março as perdas acumuladas chegam a quase 6% e desde o início do ano, a 11%.
O mercado segue influenciado pelo avanço do coronavírus que, agora, atinge em cheio países europeus e gera ainda mais temores sobre a saúde da economia mundial. Ativos financeiros e commodities em geral são afetados diretamente; ao mesmo tempo em que se fortalecem os metais preciosos e o dólar.
As principais economias começaram a adotar medidas para aumentar a liquidez e estimular os investimentos e o consumo. Neste domingo, os EUA voltaram a reduzir os juros básicos, desta vez para a taxa entre zero e 0,25%.
Atualizando dados sobre o coronavírus: 169.400 casos, com 6.513 mortes e 77.260 pacientes recuperados. Na Itália, o número de casos chega a 24.750, com 1,810 mortes.
Enquanto isto, no Brasil, a colheita chega a 58,9%, ante 61,8% da mesma data do ano passado e 56,5% de média histórica. O levantamento é da consultoria Safras & Mercado e foi divulgado na última sexta-feira. No MT os trabalhos chegam a 97%; no MS, a 85%; no PR, a 70% e no RS, a 9%.
Irregularidades climáticas continuam atingindo o Conesul, com perdas nas safras de soja e milho nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul e, ainda, na Argentina e no Uruguai.
Câmbio, em nova e expressiva alta, segue dominando a formação do preço doméstico. Indicações de compra no oeste do estado entre R$ 86,00/87,00 – dependendo de local e período de embarque e prazo de pagamento; em Paranaguá, chance entre R$ 92,50/93,50.
MILHO – Os contratos futuros de milho, em Chicago, trabalham em baixa (de 5 a 6/cents) nesta manhã de segunda-feira, a 3,61/maio. Na sexta-feira, pregão fechou zerado. A BMF trabalha em baixa de 1,34%, cotada a R$52,08/maio.
Mercados globais voltam a cair neste início de semana ainda com temores do coronavírus. Além disto, o petróleo e outras commodities e ativos financeiros seguem em queda. Com este cenário, o mercado nacional de milho, que já vinha em ritmo lento, fica ainda mais contido, com vendedores retendo produto. E ainda, com poucas chuvas na no Paraná e Mato Grosso do Sul, a paralisação de vendas pode ser ainda maior.
O plantio de safrinha no Mato Grosso chegou a 99,6% para safra 2019/20 – nesta mesma data do ano passado o plantio já estava concluído.
Indicações de compra no oeste do estado seguem na faixa entre R$ 48,00/50,00 – dependendo de prazos e de localização.
(AS INDICAÇÕES DE PREÇO, TANTO PARA SOJA QUANTO PARA MILHO, SÃO UMA IDEIA GENÉRICA DE PREÇOS PARA O OESTE DO ESTADO E, EVENTUALMENTE, PARA O PORTO DE PARANAGUÁ. PARA INDICAÇÕES MAIS PRECISAS É NECESSÁRIO SUBMETER O LOTE EM QUESTÃO NUMA PROPOSIÇÃO FIRME DE VENDA PARA O MERCADO – PARA ISTO, LIGUE PARA GRANOESTE: (45) 3220-8383).
DÓLAR – Dólar opera em alta de quase 3% neste momento, na faixa de R$4,96. (GRANOESTE CORRETORA – Camilo /Stephan).