Comentário de Mercado

SOJA – CBOT opera em forte alta, entre 15 e 17 cents, a U$13,63/setembro, neste momento, manhã de quarta-feira. Ontem, houve ganhos entre 6 e 7 cents nos principais vencimentos. Retorno dos chineses ao mercado norte-americano, prospectando lotes para embarque na próxima temporada, e clima adverso, notadamente nos estados das Planícies do Norte promovem suporte para os preços.
– Em termos técnicos, fundos e especuladores buscam recompor suas carteiras diante do relatório de oferta e demanda de agosto, que será apresentado pelo USDA nesta quinta-feira. Analistas ouvidos por agências de notícias avaliam que a estimativa de produção de soja dos EUA sofrerá um corte superior a 1,0MT, para 118,7MT.
– Agosto é o primeiro mês em que os números de produção são embasados em pesquisa de campo, realizada por técnicos do USDA.
– No ano passado a produção dos EUA ficou em 112,6MT e no ano retrasado, em 96,7MT. A colheita reduzida destas duas temporadas, combinado com a retomada da demanda pela China, culminaram na redução dos estoques norte-americanos e globais e na expressiva alta dos preços em Chicago, superior a 50% desde setembro do ano passado (com picos de até 80% em maio deste ano) e maior patamar desde 2012/13.
– Por outro lado, em razão da lentidão dos embarques nesta reta final de temporada, analistas apostam numa ligeira alta dos estoques finais norte-americanos deste ano, para algo ao redor de 4,0MT.
– As exportações brasileiras de soja somam, até aqui, nesta temporada, 71,3MT, informa a Secex. No mesmo intervalo do ano passado o volume embarcado somava 72,4MT.
– No mercado interno, poucos negócios são observados. Algumas regiões apresentam preços acima da paridade internacional em razão do aumento da demanda para consumo interno e local. Prêmios nos portos entre 140/150 sobre a CBOT.
– Indicações de compra no oeste do estado entre R$ 166,00/167,00 e em Paranaguá, na faixa de R$ 171,00/172,00 por saca – dependendo de prazo de pagamento e, no interior, também do local de embarque.

MILHO – A Bolsa de Chicago opera em alta, de 5 a 7 pontos neste momento, manhã de quarta-feira, cotada a U$ 5,56/setembro; ontem fechou praticamente estável. A melhora de dois pontos percentuais, para 64% na categoria bom/excelente, conforme divulgado pelo USDA no fim da tarde desta segunda-feira, sugere certa cautela aos investidores.
– De qualquer maneira, o posicionamento frente ao relatório de oferta e demanda de agosto, que será apresentado pelo USDA nesta quinta-feira, coloca fundos e investidores de forma mais agressiva na ponta compradora.
– O relatório mensal de oferta e demanda (WASDE) é esperado com cortes expressivos na produção norte-americana de milho. Analistas indicam que, como consequência das irregularidades climáticas que assolam a porção norte do Corn Belt, a estimativa do USDA deverá ficar na faixa de 379,7MT, ante 385,2MT de julho. No ano passado a produção totalizou 360,3MT.
– Os estoques norte-americanos para a temporada presente são esperados em ligeiro aumento, em cerca de 0,5MT, para 27,9MT; contudo, para a safra 2021/22, os estoques são previstos em queda de 4,0MT em relação ao mês passado, para 32,1MT.
– O line-up de navios nos portos brasileiros indica que, em agosto, os embarques podem chegar a 4,0 MT. Até aqui, nesta temporada, iniciada em fevereiro, os embarques somam 4,06MT, ante 7,3MT do mesmo intervalo do ano passado. Em razão da gravidade das perdas, as exportações de milho deste ano devem se situar entre 15,0MT e 18,0MT, ante 36,08MT do ciclo passado.
– O mercado doméstico apresenta preços mais estáveis, e até pressionados, nestes dias. De um lado, melhora o volume de oferta com o avanço da colheita; de outro, os produtores avaliam os índices de produtividade e a qualidade dos grãos e esperam por oportunidades de venda.
– Em razão da acentuada queda na produção, contrariamente a anos anteriores, os preços domésticos tendem a ser balizados pela paridade de IMPORTAÇÃO e não pela paridade de EXPORTAÇÃO. Indicações de compra nesta manhã são sugeridas em algo como R$ 101,00/103,00 no oeste do estado, dependendo de prazos e de localização; em Paranaguá, entre R$ 81,00/82,00.
CÂMBIO – Opera estável nesta manhã, a R$ 5,19; ontem fechou em R$ 5,196 (Granoeste Corretora: Camilo / Stephan).