Comentário de Mercado

SOJA – Preços da soja em Chicago se apresentam em alta de 4 cents, a U12,77/janeiro, neste momento, manhã de quarta-feira. Ontem houve pequenas perdas, entre 1 e 2 cents. Investidores buscam posicionar suas carteiras para o ferido de amanhã (Dia de ação de Graças) e para uma sexta-feira com pregão esvaziado nos EUA.
– Mercado segue focado na demanda pelo produto norte-americano. Embora as exportações continuem lentas, a demanda interna está se tornando mais robusta, com aumento do consumo de rações e biodiesel.
– Outro foco de atenção é a evolução da safra e as perspectivas de clima para a América do Sul. No Brasil, o plantio entra na reta final, com cerca de 90% já realizado; na Argentina, em torno de 40%. A ocorrência do La Niña durante a primavera e o verão é a grande preocupação, pois, normalmente, reduz as precipitações na região Sul do Brasil e em grande parte da Argentina.
– No mercado interno, com preços mais atrativos, a origem (produtores, cerealistas e cooperativas) se mostram mais participativos, aumentando o volume ofertado e, consequentemente, melhorando o ritmo de negócios.
– Para esta época do ano, o volume de soja remanescente é o maior das últimas temporadas. Avaliações indicam que resta por comercializar entre 6% e 7% da safra brasileira, contra 1% do ano passado, 4% do ano retrasado e entre 4% e 5% de média histórica.
– Prêmios nos portos são indicados entre 140/160 no mercado spot e entre 42/50 para fevereiro.
– Indicações de compra no oeste do estado na faixa de 167,00/168,00. Em Paranaguá, indicações na faixa de R$ 171,00/172,00 – dependendo de prazo de pagamento e, no interior, também do local e do período de embarque.

MILHO – Na CBOT, milho opera em alta de 4 cents neste momento, cotado em U$5,84/dezembro. Ontem, a sessão registrou ganhos entre 3 a 4 cents nos principais vencimentos, impulsionada por ganhos no pit do trigo e por uma demanda mais firme para a produção de etanol.
– Diante de um cenário positivo, os ganhos também são atribuídos ao posicionamento altista de investidores frente ao feriado de amanhã nos EUA.
– A ANEC estima que o Brasil deverá exportar cerca de 3,0MT de milho em novembro; em outubro foram 1,87MT. Em novembro do ano passado, o volume embarcado foi de 4,94MT. A queda interna dos preços tem favorecido os negócios na exportação, notadamente de produto do Mato Grosso.
– De acordo com a SECEX, até aqui, em novembro, foram exportadas 1,63MT. No acumulado da temporada, iniciada em fevereiro, o volume chega a 13,97MT, contra 26,7MT do mesmo intervalo do ciclo passado.
– De acordo com o DERAL, 95% das lavouras de milho do PR estão em boas condições; 5% são consideradas regulares. Quanto ao estágio, 79% estão na fase de desenvolvimento vegetativo; 17%, em floração e 4%, em frutificação. O plantio já está encerrado; na mesma época do ano passado este índice era de 98%.
– No mercado interno, percebe-se certa melhora no ritmo de negócios, com mais compradores mostrando interesse; enquanto que, do lado vendedor, percebe-se certa diminuição da oferta. De um lado, aumenta a necessidade de reposição de estoques; porém, do outro, apesar da aparente redução da oferta, cresce a necessidade de vendas para liberar espaço para acomodação da próxima colheita.
– A queda de preços das últimas semanas despertou o interesse por negócios na exportação, com suporte vindo do câmbio e da firmeza dos preços internacionais. Isto chama a atenção das integrações produtoras de carnes, que são grandes consumidoras de milho. Se escapar mais produto pelo canal externo, diminuirá a disponibilidade interna, com implicações futuras sobre os preços e sobre os volumes de importação, num ano em que o quadro de oferta e demanda se mostra extremamente apertado.
– Indicações de compra são sugeridas na faixa entre R$ 83,00/85,00 no oeste do estado; em Paranaguá, entre R$ 87,00/88,00 – dependendo de prazos de pagamento e, no interior, também da localização do lote.
CÂMBIO – Opera em leve baixa neste momento, na faixa de R$ 5,60. Ontem, depois de operar com alta superior a 1%, acabou fechando com apenas leves ganhos, a R$5,608 (Granoeste Corretora: Camilo / Stephan).