Comentário de Mercado

SOJA – CBOT volta a operar em queda, de 16 cents, a U$ 13,53/março, nesta terça-feira em Chicago. Com o feriado de ontem nos EUA (Martin Luther King), o mercado retoma os negócios pressionado pela onda de chuvas na Argentina. Chuvas esparsas também atingiram pontos do sul do Brasil, mas as perdas já estão consolidadas na maioria das regiões que receberam estas precipitações.
– Depois de semanas de tempo seco, as chuvas na Argentina vieram com volumes melhores do que o esperado. Diversas consultorias já haviam cortado a produção do país entre 2,0/3,0MT e devem rever suas projeções nos próximos dias.
– A colheita da safra brasileira de soja chega a 1,7%, com 4% no MT e 4% no PR. O levantamento é da consultoria Safras & Mercado. As perdas nos estados do Sul se avolumam e podem chegar a algo entre 15,0/18,0MT. Nos próximos dias, avaliações mais atualizadas devem mostrar a dimensão mais precisa das perdas nesta região.
– O mercado interno segue bastante travado, diante da pressão sobre os preços. As indicações de compra tiveram recuo nos últimos dias, com CBOT e câmbio perdendo força. Em contrapartida, os prêmios apresentam melhora. O volume de negócios segue baixo em razão do aprofundamento das perdas no campo e da expectativa de preços em alta com a possibilidade de aperto no quadro de oferta e demanda, quando avaliações mais realistas das quebras na América do Sul vierem a mercado.
– Indicações entre R$ 173,00/174,00 no oeste do estado e entre R$ 177,00/178,00 em Paranaguá– dependendo do prazo de pagamento e, no interior, também do local de embarque. Estas indicações são sugeridas de R$ 3,00/4,00 mais fracas quando se trata de produto novo. Prêmios são negociados entre 55/65 para embarque em fevereiro.

MILHO – CBOT opera em queda de 5 cents, cotada a U$5,90/março. Depois do feriado de ontem nos EUA, o mercado se mantém sob pressão por conta de chuvas benéficas e volumosas em regiões produtoras na Argentina.
– Segundo dados da alfândega local, a China importou 28,4MT de milho em 2021, aumento de 152% sobre o ano anterior, que já havia sido recorde, com 11,3MT. Importações de trigo também aumentaram de 8,4MT em 2020 para 9,8MT no último ano.
– De acordo com a agência SAFRAS & MERCADO, a colheita de milho verão em território brasileiro atinge 7%, contra 3,9% da mesma época do ano anterior e 1,7% na média dos últimos cinco anos. No RS a colheita chega a 19,3% e em Santa Catarina, a 8,9%. Nos demais estados a colheita ainda não foi iniciada.
– O plantio de milho safrinha no MT está em 1,6%, segundo dados do IMEA coletados até o dia 14. Na mesma data da temporada passada o plantio ainda não havia começado.
– Indicações de compra são sugeridas na faixa entre R$ 97,00/97,50 no oeste do estado; vendedores seguem bastante recuados, avaliando o cenário e as perdas da safra de verão. Em Paranaguá, entre R$ 88,00/90,00 – dependendo de prazos de pagamento e, no interior, também da localização do lote.
CÂMBIO – O dólar opera estável neste momento, a R$ 5,52. Ontem, encerrou em R$5,526 (Granoeste Corretora: Camilo / Stephan).