Comentário de Mercado

FERIADO – Hoje, feriado nos EUA, Dia do Presidente, não tem pregão na CBOT. As tensões entre oferta e demanda, acumuladas por mais uma jornada, devem trazer mais volatilidade para o próximo pregão.
Na última sexta-feira, os vencimentos mais próximos fecharam ligeiramente acima dos U$ 16,00, no maior patamar desde 7 de junho.
Mercado segue atento em relação às perdas da produção sul-americana. No Brasil, a colheita da soja, segundo levantamento de Safras & Mercado, chega a 32,9%, ante 12,4% da mesma data do ano passado e 23,2% de média histórica. Mato Grosso se aproxima dos 70% e Paraná, dos 30%.
O plantio do milho safrinha, que se aproxima dos 50%, é outro ponto que merece a atenção dos produtores. O clima irregular segue como fator mais preocupante, com continuidade do tempo seco na região Sul e excesso de chuvas no Centro-Norte.
Sem a referência externa, o mercado doméstico deve se manter calmo e praticamente paralisado nesta segunda-feira.
Prêmios nos portos brasileiros permanecem firmes com indicações na faixa de 140/155 no mercado spot.
As últimas indicações de compra para soja giravam na faixa de R$ 195,00/197,00 no oeste do Paraná; em Paranaguá entre R$ 200,00/201,00.
Para o milho, com mercado um tanto mais ofertado, as indicações de compra oscilaram entre R$ 95,00/96,00 no oeste do estado.
Câmbio – Opera estável, a U$ 5,14. Na sexta fechou em R$ 5,141. (Granoeste – Camilo / Stephan).