Comentário de Mercado

SOJA – Os contratos futuros negociados com soja em Chicago chegam ao intervalo desta manhã de segunda-feira com queda de 20 cents, a U$ 16,90/maio. Depois de ter fechado acima de U$ 17,00 em três sessões da semana passada, o mercado encontrou resistência para galgar novos patamares, principalmente em termos técnicos.
– O avanço da covid na China, com lockdown em importantes cidades, dentre elas Xangai, bem como a queda acentuada dos preços do petróleo também pesam na formação do preço. Além disto, os mercados vão se rearranjando diante da nova conformação geopolítica.
– Outro ponto importante é o posicionamento e ajuste de carteira dos investidores frente ao relatório de intenção de plantio da safra norte-americana, que será divulgado pelo USDA nesta quinta-feira.
– Na América do Sul, os novos números reforçam as perdas acentuadas de produção no Brasil, Argentina e Paraguai, com perdas totais que podem chegar a 35,0MT no comparativo com as estimativas iniciais. Por esta razão, os preços estarão muito vulneráveis ao comportamento do clima nos campos do Meio Oeste. Tamanho de área, ritmo do plantio, disponibilidade de insumos, previsões climáticas, etc.; tudo estará no radar dos participantes e podem provocar movimentações dilatadas dos preços. Ou seja, os ruídos da quebra da safra sul-americana irão reverberar pelos meses à frente.
– A colheita da safra brasileira de soja chega a 76,4%, ante 66,9% da mesma data do ano passado e 68,9% de média histórica. O levantamento é da consultoria Safras & Mercado. No MT e MS os trabalhos estão em 99%; em GO, 96%; MG, 87%; PR, 80%; BA, 69% e RS, 15%.
– A formação do preço doméstico vem sendo pressionada pela queda das cotações internacionais e, sobretudo, pela valorização do Real. Volume de negócios fica ainda mais restrito, com retração dos produtores.
– Apesar da preocupação com o enfraquecimento dos preços, as atenções seguem voltadas para a finalização da colheita, liquidação de contratos negociados antecipadamente e término do plantio da safrinha de milho. No mercado spot, os prêmios são indicados entre 145/170.
– Indicações de compra entre R$ 186,00/187,00 no oeste do estado; entre R$ 191,00/192,00 em Paranaguá – dependendo do prazo de pagamento e, no interior, também do local de embarque. Em razão da quebra de safra, em muitas regiões do Sul do país, as indústrias seguem indicando preços acima da paridade internacional.

MILHO – Os contratos futuros de milho na CBOT chegam ao intervalo desta manhã de segunda-feira com perdas de 10 a 11 cents, cotada a U$ 7,43maio. O pregão anterior encerrou com ganhos de 5 cents na posição presente. As perdas são atribuídas à queda no petróleo e ao lockdown na cidade de Xangai, a maior cidade chinesa.
– Neste dia 31 será divulgada a 1ª intenção de plantio da safra norte-americana. Analistas estimam que, em relação ao ano passado, haverá um corte entre 0,8 e 1,2 milhões de hectares na área de milho, com aumento proporcional na área de soja. Contudo, num ano cheio de fatores novos, não está descartada nenhuma surpresa em sentido contrário. O clima no Meio-Oeste dos EUA está favorável ao plantio, com boas chuvas previstas para abril e maio.
– A colheita de milho verão em nível de Brasil chega a 62%, ante 59% da mesma época do ano passado e 55% de média – informa a consultoria Safras & Mercado. Por estado, os índices de coleta são: 89% no Rio Grande do Sul, 77,2% em Santa Catarina, 76,4% no Paraná, 56,7% e 24,9% em Minas Gerais.
– De acordo com IMEA, o plantio da safrinha no Mato Grosso está praticamente finalizado, com 99,92% até o último dia 25, contra 99,58% do ano passado e 99,34% da semana anterior.
– Na região Centro-Sul, o plantio da safrinha chega a 99,1%, ante 95,7% da mesma época do ano passado, informa a agência Safras & Mercado. No MT os trabalhos estão encerrados; GO chega a 99,9%; MS, a 99,8%; SP, a 99,1; PR, 98,2% e MG, a 90,3%.
– No mercado interno, com certo aumento da oferta os preços cederam nos últimos dias. O mercado segue calmo, depois da arrancada de preços verificada no início de março. Melhora do clima na condução da safrinha, aumento da oferta, bem como queda dos prêmios nos portos limitam a formação do preço doméstico. A quedas dos prêmios foi atribuída à decisão da Europa de liberar a importação de milho transgênico dos EUA.
– Indicações de compra na faixa entre R$ 92,00/94,00 no oeste do estado; em Paranaguá, entre R$ 100,00/102,00 – dependendo de prazos de pagamento e, no interior, também da localização do lote.
CÂMBIO – Dólar opera em alta, a R$ 4,78. Na sexta-feira fechou em R$4,747, no menor nível desde março de 2020. (Granoeste Corretora – Camilo / Stephan).