Comentário de Mercado

SOJA – Os preços da soja abrem a semana em leve alta nos futuros de Chicago, depois do feriado desta segunda-feira (Memorial Day), e operam a U$ 17,3/julho. Na semana passada os preços avançaram 2,5%, num cenário de solidez dos fundamentos.
– Quebra de safra, notadamente na América do Sul, e problemas logísticos por causa da guerra no leste europeu, seguem como pano de fundo para a firmeza dos preços. Daqui para frente, no entanto, o fator mais decisivo será a condução da nova safra dos EUA, cujo plantio tem apresentado melhor evolução nos últimos dias e pode avançar sobre áreas previamente destinadas a milho. Logo mais, no fim da tarde, o USDA irá divulgar uma nova atualização sobre o ritmo dos trabalhos.
– Outros fatores importantes também entram na conta formadora do preço: retorno da Indonésia às exportações de óleo de palma; abertura de canais para escoamento da produção de óleo de girassol da Ucrânia, cujos embarques estão cerca de 30% abaixo daquele verificado no mesmo período do ano passado; expectativa para a divulgação do novo programa de uso de biocombustíveis nos EUA; expectativa do mercado sobre o ritmo das exportações norte-americanas, que terá mais uma atualização ainda nesta manhã de terça-feira; novas e mais consistentes altas do petróleo, notadamente em razão das discussões do ocidente para limitar ainda mais as compras do produto russo.
– Preços nos portos brasileiros, batem recordes históricos quando somadas as variáveis CBOT e prêmios, que resulta em valores próximos de U$ 19,00 por bushel. Em setembro de 2012, quando a CBOT bateu o recorde de todos os tempos, chegando a U$ 17,80, os prêmios eram negativos e limitavam a formação do preço.
– Sem a referência externa, os negócios no Brasil ficaram praticamente paralisados nesta segunda-feira. Devem retomar hoje, mas, tudo indica, o ritmo se manterá lento. No mercado spot, os prêmios são indicados na faixa entre 135/150 cents. Indicações de compra entre R$ 188,00/189,00 no oeste do estado; entre R$ 196,00/198,00 em Paranaguá – dependendo do prazo de pagamento e, no interior, também do local de embarque.

MILHO – CBOT chega ao intervalo desta manhã com queda de 5 cents, cotada a U$ 7,72/julho. Ontem não houve pregão devido ao feriado de Memorial Day, nos EUA. Na sexta-feira, as cotações fecharam em alta de 12 pontos; mas, mesmo assim, na semana, houve perdas próximas de 2%.
– A semana começa com preços em baixa, puxados pela queda do trigo. Voltaram a circular informações de que o governo russo poderá criar canais para facilitar o escoamento dos produtos agrícolas ucranianos, que estão bloqueados nos portos e em armazéns pelo interior do país. A participação da Turquia, juntamente com a ONU, está sendo chave para que esta movimentação aconteça. Putin espera a suspensão de boa parte das sanções para normalizar o fluxo de produtos agrícolas e de fertilizantes.
– Juntas, Rússia e Ucrânia são responsáveis por 29% das exportações globais de trigo, 80% do óleo de girassol e pelo menos 20% do milho. A região é grande exportadora de milho, trigo, cevada e óleo de girassol e de canola; ao mesmo tempo, Rússia e Belarus, que estão sob sanções, participam com mais de 40% do comércio global de potássio, dentre outros nutrientes.
– No MT, a colheita da safrinha mal começou, mas se mostra em ritmo acelerado. Até a última sexta-feira, 2,4% já havia sido coletado, informa boletim do IMEA. Os trabalhos estão bastante adiantados no comparativo com o ano passado e com a média histórica. Em seu último levantamento, no início de maio, a produção foi estimada pelo Instituto em 39,3MT, um novo recorde histórico para o estado.
– A colheita de safrinha no PR foi iniciada, ainda que de maneira tímida e pontual. O clima, mais úmido nos últimos dias, deverá atrasar os trabalhos de campo; mas, tendem a ser retomados com intensidade assim que o tempo melhorar.
– As atenções do mercado se voltam para a formação do preço na CBOT e no câmbio, uma vez que os níveis de paridade deverão ser determinantes para a definição dos preços domésticos.
– Integrações mais comedidas em suas indicações de compra, aguardando por produto novo. Sugestões para compra de lotes no oeste do estado na faixa entre R$ 87,00/89,00; em Paranaguá, entre R$ 93,00/95,00 – dependendo de prazos de pagamento e, no interior, também da localização do lote.
– CÂMBIO – Opera em alta neste momento, a R$ 4,76; ontem fechou em R$ 4,754 (Granoeste Corretora – Camilo / Stephan).