Comentário de Mercado

SOJA – Chicago opera em alta de 3 a 5 cents nesta manhã de quarta-feira, a U$ 8,47/julho, em meio à recuperação de preços nos mercados de petróleo e de ativos financeiros.
– Os ganhos, porém, são limitados pelo bom avanço do plantio da safra norte-americana e pela ausência de reportes sobre novos negócios com a China.
– O mercado segue atendo e direcionado por algumas variáveis centrais:
a) pandemia do coronavírus e seus impactos agressivos sobre a economia, sobretudo no que se refere à demanda por commodities agrícolas;
b) comportamento do clima no Meio Oeste dos EUA, ritmo do plantio e desenvolvimento inicial das lavouras;
c) conflito comercial e geopolítico entre as duas maiores economias do mundo e seus reflexos sobre a demanda pelo produto dos EUA;
d) internamente, crise política e suas graves consequências sobre o andamento de reformas e sobre medidas de combate à pandemia que acabam refletindo na volatilidade da taxa cambial.
– O ritmo de vendas da safra brasileira é o mais rápido da história, impulsionado pela desvalorização do câmbio e por preços atrativos. As exportações caminham para algo como 84MT nesta temporada, um novo recorde. Os lotes remanescentes estão escasseando rapidamente. Não se descarta a possibilidade de falta de produto para uso doméstico no pico da entressafra.
– Indicações de compra no oeste do estado entre R$ 105,00/107,00 – dependendo de prazo de pagamento e de local de embarque.

MILHO – CBOT trabalha em leve baixa, a 3,20/julho. Mercado cede devido à previsão de chuvas no Meio Oeste norte-americano, onde 80% das lavouras já estão semeadas.
– Em algumas regiões produtoras do Brasil, especialmente nos estados do PR, MS e SP, as perdas devido ao déficit hídrico estão avaliadas entre 20% e 25%. Apesar das chuvas da semana passada, o cenário não melhorou, apenas concorre para estancar perdas adicionais.
– Há estimativas de que no norte e noroeste do Paraná e grande parte do estado de São Paulo as perdas podem ultrapassar a faixa de 30%.
– De acordo com a Rural Clima, o único estado que está indo bem é o Mato Grosso, com perspectiva de safrinha recorde. Em nova estimativa, a AgRural prevê uma safra total de 97,7MT para o BR.
– Nesta semana, começam o ocorrer as primeiras colheitas no Mato Grosso, mas, ainda, de maneira discreta e isolada.
– Atenções se voltam para a possibilidade de ocorrência de geadas em pontos do Paraná e do Mato Grosso do Sul neste final de semana.
– No mercado interno, os preços se mantém firmes, com chance de negócios na ponta compradora na faixa de R$ 46,00/47,50 no spot. Indicações no porto mais comedidas com a queda do câmbio, na faixa de R$ 47,50/48,50.
– CÂMBIO – Opera em leve baixa neste momento, na faixa de R$ 5,74. Ontem fechou em R$ 5,761. (Granoeste – Camilo / Stephan).