Comentário de Mercado

Bom dia. Hoje, Memorial Day (dia, nos EUA, para lembrar os mortos e veteranos de guerra) não haverá pregão na Bolsa de Chicago. Os negócios, portanto, devem estender a lentidão vivida na última semana, quando a expressiva queda do dólar foi a principal razão para a calmaria.
De qualquer maneira, o mercado seguirá atento em relação ao avanço do coronavírus e suas implicações econômicas, bem como no desenrolar dos eventos políticos e investigativos internos em relação ao presidente Bolsonaro.
Na última jornada, as intenções de compra observadas no oeste do estado ficaram na faixa entre R$ 103,00/106,00 por saca.

Em relação ao milho, os poucos lotes ainda disponíveis vêm recebendo indicações de compra mais firmes nos últimos dias, na faixa de R$ 46,50/47,50, no oeste do estado. Em relação à safrinha, as atenções seguem centradas nas irregularidades climáticas que atingem boa parte da região produtora.
As recentes chuvas – muito benéficas e esperadas – serão seguidas pela ocorrência de baixas temperaturas. Além das perdas já contabilizadas, o clima mais frio e úmido tende a alongar o ciclo das plantas, num ano em que o plantio foi realizado mais tardiamente.

Câmbio – com o feriado nos EUA, a tendência é de lentidão nos mercados financeiros. Porém, as incertezas internas, alimentadas ainda mais durante o fim de semana, acabam influenciando a formação do Real – que opera, neste momento em forte queda, na faixa de R$ 5,51. Na sexta-feira, havia fechado em R$ 5,575. (Granoeste – Camilo / Stephan).