Comentário de Mercado

SOJA – Chicago opera em alta de 2 a 3 cents, a U$ 8,95/março. Apesar de lento, os ganhos em fevereiro passam de 2%. Janeiro, porém, teve perdas superiores a 8%.

O mercado se posta do lado positivo diante dos fortes ganhos no pit do trigo (com a quebra acentuada de produção na Austrália). Além disto, há preocupações com o intenso ataque de gafanhotos em países da Ásia, com possibilidade de perdas de colheita também na China. O mercado de ativos financeiros se mostra mais otimista, o que influencia diretamente os mercados de commodities.

O monitoramento das duas epidemias – peste suína africana e coronavírus – continuam no centro das atenções em razão da capacidade de redução da demanda agregada e perda de potencial de crescimento da economia.

Enquanto isto, no Brasil a colheita da soja chega a algo como 25% e se expande a oferta de produto novo.

Atualizando dados sobre o coronavírus: 73.300 casos confirmados, com 1.874 mortes e 13.050 pacientes liberados dos hospitais.

O noticiário internacional repercutiu a intenção da China de promover mais uma rodada de redução e até eliminação de tarifas de importação de produtos norte-americanos – que incluiria também produtos agropecuários, dentre eles soja e carne suína. A China se comprometeu a aumentar de forma expressiva suas compras nos EUA como parte de um amplo acordo para reduzir as tensões comerciais entre os dois países.

Indicações de compra no oeste do estado na faixa entre R$ 80,50/81,00 – dependendo de local de embarque e de prazo de pagamento. Porto com indicações entre R$ 88,00/89,00.

MILHO – Contratos futuros em Chicago trabalham em alta nesta manhã de terça-feira, a 3,80/março. A BMF trabalha em alta de 0,53%, cotada a R$52,68/março.

De acordo com a ÚNICA (União da Indústria de Cana de Açúcar), existem, no Brasil, 10 usinas utilizando milho para produção de etanol. Sete destas usinas são flex, podendo utilizar tanto cana de açúcar quanto milho; as outras 3 usam exclusivamente milho como matéria prima. No ano passado, o Brasil produziu 32,3 bilhões de litros de etanol, sendo 1,24 bilhões através de milho (3,8%). A produção de etanol na temporada 2018/19 aumentou em 101,7% em relação ao ano anterior.

Mercado segue firme – com ofertas escassas, um dólar forte e dados da CONAB prevendo estoques de passagem modestos fazem com que os preços do milho retomem fôlego e se mantenham em alta.

No oeste do estado, indicações de compra entre R$ 46,00/46,50 e intenções de venda até na faixa R$ 47,00 – dependendo de prazos e de localização. Porto, com indicações entre R$ 42,50/43,50 por saca.

(AS INDICAÇÕES DE PREÇO, TANTO PARA SOJA QUANTO PARA MILHO, SÃO UMA IDEIA GENÉRICA DE PREÇOS PARA O OESTE DO ESTADO E, EVENTUALMENTE, PARA O PORTO DE PARANAGUÁ. PARA INDICAÇÕES MAIS PRECISAS É NECESSÁRIO SUBMETER O LOTE EM QUESTÃO NUMA PROPOSIÇÃO FIRME DE VENDA PARA O MERCADO – PARA ISTO, LIGUE PARA GRANOESTE: (45) 3220-8383).

DÓLAR – Opera em alta, próximo de R$ 4,35 – (GRANOESTE CORRETORA – Camilo /Stephan).