Comentário de Mercado

SOJA – Chicago trabalha estável nesta manhã de segunda-feira, a U$ 8,65, depois de uma semana negativa, que registrou queda superior a 1%. Em junho os ganhos são da ordem de 3%, ainda longe de superar as perdas do ano, que se acumulam em 11%.
– Além das preocupações com os impactos negativos da pandemia e com o desenrolar das relações comercias entre China e EUA, o mercado estará atento à divulgação pelo USDA, nesta terça-feira, de dois importantes relatórios: o relatório final de plantio e o relatório trimestral de estoques.
– Em relação ao plantio, analistas ouvidos por agências internacionais, esperam que a área semeada com soja fique em 34,3 milhões de hectares, um incremento de 11,4% sobre os 30,8MH plantados no ano passado. A área esperada também é superior (em cerca de 1,5%) aos 33,8MH que o USDA projetada na primeira intenção de plantio, em fins de março.
– Quanto aos estoques existentes em solo norte-americano em primeiro de junho, o mercado aguarda algo como 37,6MT, uma redução de 22% sobre as 48,5MT de primeiro de junho do ano passado. Isto mostra o peso da quebra de safra da última estação. No relatório trimestral anterior, em primeiro de março, os estoques eram de 61,3MT.
– O comportamento climático no Meio Oeste norte-americano passa a merecer atenção especial dos participantes, notadamente por causa da expressiva quebra da safra anterior e pela necessidade de uma produção adequada para recompor os estoques. Julho e agosto marcam o período mais crítico para a determinação da produtividade das lavouras.
– Em algumas regiões do mercado brasileiro, os preços começam a se desvincular da paridade de exportação. Apesar de ainda cedo, isto é reflexo do grande volume já comprometido com exportações e da redução precoce da oferta para abastecimento da indústria local, que tem todo o período de entressafra pela frente.
– Além da disputa por parte das indústrias, a desvalorização do Real segue impulsionando a formação dos preços domésticos. Os prêmios são negociados na faixa de 115/125 sobre Chicago. No oeste do estado, indicações de compra entre R$ 106,00/108,50, dependendo de local de embarque e prazo de pagamento; em Paranaguá entre R$ 113,00 / 114,00.

MILHO – CBOT trabalha em alta de 3 a 4 pontos nesta manhã, a U$ 3,21/julho, com investidores buscando posicionar-se frente aos relatórios de intenção de plantio e de estoques trimestrais, que serão divulgados pelo USDA nesta terça-feira. A BMF opera neste momento a 46,35 (+0,87%) / julho.
– Analistas ouvidos por agências de notícias avaliam que o USDA vai indicar a área plantada com milho na casa de 38,5MH. Isto representa aumento de 6% sobre os 36,3Mh do ano passado; mas, representa queda de 2% sobre os 39,3MH previstos na intenção de plantio, divulgado em março.
– Em relação ao relatório de estoques trimestrais, o mercado espera algo como 126,7MT de milho nos EUA em primeiro de junho, queda de 4% sobre as 132,1MT existentes em primeiro de junho do ano passado. milho. Em março, os estoques eram de 202MT.
– A colheita de safrinha do Mato Grosso atingiu 31,56%, de acordo com levantamento do IMEA, contra 16,35% da semana anterior e 40,82% do mesmo período do ano passado.
– No mercado interno, a maioria dos compradores estão recuados na espera por ofertas mais acessíveis oriundas da safrinha; contudo, devido ao atraso da colheita, notadamente no Paraná é percebida alguma necessidade mais urgente de abastecimento. A valorização do dólar também tem ajudado na sustentação dos preços domésticos ao dar suporte para operações de exportação.
– As preocupações com produtividade seguem como foco central, especialmente em estados atingidos pela estiagem, como o Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo. Apesar de perdas, os relatos indicam produto de boa qualidade. No oeste do estado foi observado interesse de compra entre R$ 43,50 / 44,50 por saca para produto disponível. Nos portos, indicações na faixa de R$ 48,00/49,00 por saca.

– CÂMBIO – Opera em baixa neste momento, cotado na faixa de R$ 5,43. Na sexta-feira, fechou em R$ 5,463. (Granoeste – Camilo / Stephan).